Cultura

Novo 007 faz jornada pela mente emblemática do espião

Daniel Craig nas filmagens de “007 – Skyfall”    (Crédito: Divulgação)

 

O próximo filme de James Bond, “Skyfall”, promete trazer ação, locações exóticas, vilões intrigantes e uma bela mulher, como de costume na série. Mas, para os fãs dos romances originais de Ian Fleming, criador do personagem, há mais: uma jornada pela mente problemática do icônico espião.
Sam Mendes, diretor do 23º filme da franquia, tem em sua filmografia obras que estudam a personalidade e a emoção dos personagens a fundo, como o longa “Beleza Americana”.
“Sempre retorno a Fleming porque o personagem que criou em tantos romances é incrivelmente complexo”, disse Mendes em uma conferência em Istambul, onde “Skyfall” foi filmado.
“Algumas pessoas às vezes se apegam no clichê de Bond, um playboy internacional que sempre se mete em problemas, e se esquecem de que o personagem criado por Fleming tinha uma personalidade complexa e conflitante”, declarou Mendes, que estava acompanhado do elenco, incluindo Daniel Craig, que interpretará Bond.
Fleming criou um agente secreto que era ao mesmo tempo frustrado e ambivalente em relação ao seu trabalho. Muitos filmes sobre Bond passaram ao longe de seus demônios internos, mostrando um personagem cercado por efeitos especiais.
No último romance de Fleming, disse Mendes, Bond sofre de uma “combinação de cansaço, aborrecimento, depressão, dificuldade com o que escolheu para sua vida, que é matar. Isso o faz um personagem muito mais interessante, e algumas dessas coisas foram exploradas neste filme, porque Daniel Craig é um ator capaz de aproveitar isso.”
Esta será a terceira vez que Craig interpreta o espião no cinema.

Você também pode gostar