Cultura

Fotógrafos regionais resgatam em imagens história de Araçuaí

O trabalho procura resgatar, por meio da arte fotográfica, a valorização dos patrimônios histórico-culturais    (Crédito: Ana Clara Silva)

 

IPATINGA – “Morei em Araçuaí até os meus 17 anos. Na época eu não sabia o quê, mas tinha certeza de que um dia eu voltaria para fazer alguma coisa pela cidade. Sempre deixei muito claro para todo mundo minha origem, minhas raízes. Desde a época da faculdade me interessei pela fotografia e a abracei, de forma particular, como meu meio de arte. Sempre falava com o Nilmar sobre minha cidade, suas particularidades e o meu desejo de realizar alguma coisa por lá. Esse meu falatório foi tomando forma e consistência até que o projeto ganhou corpo”. O depoimento é de Ana Clara Silva que, juntamente com Nilmar Lage, embarca nesta quarta-feira (6) para Araçuaí, município pertencente ao Vale do Jequitinhonha, região norte de Minas Gerais, para desenvolverem o projeto intitulado “Circuito de Imagens”.

PATRIMÔNIO
Dentre muitos objetivos, o trabalho procura resgatar, por meio da arte fotográfica, a valorização dos patrimônios histórico-culturais (materiais e imateriais) presentes na cidade de Araçuaí. Idealizado pelos fotógrafos e jornalistas Ana Clara Silva e Nilmar Lage, o projeto prevê uma exposição fotográfica, uma oficina gratuita de fotografia e a produção de um documentário. O “Circuito de Imagens” recebe patrocínio da EMFER Estruturas Metálicas Fernandes e Thermon Indústria Mecânica por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura. Em Araçuaí o projeto recebe apoio do Restaurante Panela de Barro e Pousada das Araras.

COMEÇO
“Penso neste projeto desde a época da graduação em Jornalismo, mas ele ainda não tinha corpo. Na faculdade mesmo conheci o Nilmar, que acabou também, como eu, se enveredando pelo mundo da fotografia, e decidimos pensar na ideia juntos. Foi aí que surgiu o ‘Circuito de Imagens’. Mais que uma realização pessoal, o projeto passou a ser uma necessidade local. Os moradores de Araçuaí precisam passar a olhar aquela cidade de outra forma”, comentou Ana Clara.
A fotógrafa conta que o município possui valores culturais muito ricos. “Tenho orgulho da minha história e da cidade em que nasci, por isso vejo que é preciso, além do discurso sobre patrimônio histórico, o desenvolvimento de ações para que a preservação desse lugar aconteça. O ‘Circuito de Imagens’ é isso, é a tentativa de voltar o olhar da população para o lugar em que vive”, explicou.

EXPOSIÇÃO
A exposição, que receberá o nome de “Rua de baixo: novos olhares” terá fotos dos artistas e dos oficineiros do curso de fotografia. A mostra será em forma de circuito, a ser realizado à pé por toda a extensão da Rua de Baixo. Leila Cunha, produtora do projeto, explica que “o início da caminhada será no Cinema dos Meninos de Araçuaí, com a exibição do documentário, depois acontecerá a visita guiada pelas ruas em que as fotografias estarão expostas, e o ponto final do passeio será novamente o cinema”.

DOCUMENTÁRIO
Araçuaí possui uma história peculiar, pois foi fundada no século XIX por uma mulher que era dona de uma casa de prostituição: Luciana Teixeira. O surgimento da cidade ocorreu a partir da região que hoje é conhecida como “Rua de Baixo”. O documentário pretende contar essa e outras histórias da cidade tendo como fio condutor Maria Cheirosa, figura conhecida de Araçuaí por ter sido proprietária do bordel “Para Todos”, que funcionou na Rua de Baixo até a década de 90.
A produção do documentário será realizada de forma coletiva por Ana Clara Silva, Leila Cunha e Nilmar Lage, além da participação do jornalista Thiago Moreira, que já produziu documentários como “Ofícios” (2010), “Cotidianos” (2008), MPB (direção de Nilmar Lage), Silêncio 63 (direção de Fábio Nascimento) e vários videoclipes.


O surgimento da cidade ocorreu a partir da região que hoje é conhecida como “Rua de Baixo”   (Crédito: Nilmar Lage)

Você também pode gostar