Cidades

Fabriciano celebra Dia da Luta Antimanicomial

FABRICIANO – Para reforçar a importância do Dia da Luta Antimanicomial, celebrado no domingo (18), a Prefeitura de Fabriciano realiza, nesta quarta-feira (14), uma passeata com participação dos pacientes, familiares e profissionais de saúde do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II) do município. Já na quinta (15) e sexta-feira (16), acontece o “I Seminário Intersetorial de Saúde Mental da Criança e do Adolescente”, destinado aos educadores da rede municipal e estadual, trabalhadores da Saúde, da Assistência Social e setores interessados.

CAMINHADA

A caminhada sairá às 9h, da Praça Louis Ench, em frente ao prédio da Prefeitura, e seguirá rumo a Praça da Estação, no Centro. A ideia da atividade partiu dos próprios pacientes em atendimento no Caps e segue o tema “Por uma sociedade sem manicômios, por um mundo que seja a casa de todo mundo”.

“Durante a atividade, vamos reforçar que a pessoa com sofrimento mental é um cidadão de direito como qualquer outro, podendo ir e vir e conviver em sociedade. Também queremos quebrar com a imagem estigmatizada das pessoas com transtorno mental, marcando a luta antimanicomial como posição política e técnica reafirmando a liberdade como direito”, ressalta a coordenadora de Saúde Mental de Fabriciano, Juliana Souza.

ESTABILIDADE
Aprígio Cornélio da Silva é usuário do Caps e já conseguiu estabilizar o quadro de sofrimento mental. Ele frequenta as oficinas de terapia ocupacional. Ciente da importância da luta antimanicomial, vai participar da caminhada. “Acho importante lutar pelos nossos direitos. Eu tive a chance de estudar e, hoje, trabalho como ajudante de refrigeração. Mas ainda tem muitos colegas daqui que foram privados desse acesso devido ao preconceito moral e intelectual da sociedade”, afirma Aprígio.

INTERSETORIAL
O “I Seminário Intersetorial de Saúde Mental da Criança e do Adolescente” será realizado no teatro João Paulo II do Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste) e constará de palestras e conferências. Na quinta-feira (15), o evento acontece das 18h às 21h30. Na sexta-feira (16), das 8h30 às 18h30. As inscrições são gratuitas. Mais informações pelos telefones 3841-5724, 3846-7732 e 3846-2020.

CAPS II
Em Fabriciano, as pessoas com sofrimento mental são atendidas no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II). Os usuários têm acesso a um modelo de atendimento “porta aberta” que respeita as diferenças e busca a inserção social. Mensalmente, são realizados cerca de 800 atendimentos. Os usuários são acolhidos por uma equipe multidisciplinar com consulta clínica e psicológica, terapia ocupacional, medicações assistidas, visitas domiciliares e reuniões com a família, além de alimentação.

SERVIÇO
O Caps funciona na rua Vale do Tocantins, nº151, bairro Morada do Vale. Mais informações: 3846-7717.

Você também pode gostar

Cidades

Fabriciano celebra Dia da Luta Antimanicomial

Em Coronel Fabriciano, o CAPS II funciona dentro da lógica antimanicomial    (ACS/PMCF)

 

FABRICIANO – Nesta sexta-feira (18) é comemorado o Dia Nacional da Luta Antimanicomial. Para lembrar a data, a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Coronel Fabriciano realiza atividades reflexivas e uma tarde dançante no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS II), também conhecido como Casam, no bairro Morada do Vale. A programação é direcionada aos portadores de sofrimento mental, bem como aos seus familiares.
A coordenadora do CAPS II, Adriana Condessa Torres, destaca a importância em comemorar a lógica antimani- comial, que vem conquistando importantes avanços na assistência em saúde mental no país. “Décadas atrás as pessoas com problemas mentais eram internadas em manicômios, sendo privadas do convívio social. A partir dos anos 80, começam os tratamentos em regimes abertos, recuperando o direito do paciente ao convívio com a família e a sociedade”, contextualiza a coordenadora.

REFORMA
Outro importante reforço ao movimento de luta antimanicomial foi a Reforma Psiquiátrica, pela qual o Governo Federal instituiu a Lei 10.216/01, conhecida como Lei Paulo Delgado. “Esta lei impulsionou a construção de um modelo humanizado em saúde mental de atenção integral na rede pública de saúde, que mudou o foco da hospitalização como centro ou única possibilidade de tratamento aos pacientes”, explica Adriana Torres.

CAPS II
Em Coronel Fabriciano, o CAPS II atende pessoas com transtorno mental (maiores de 18 anos) e funciona dentro da lógica antimanicomial, ou seja, sem internação, com tratamento humanizado, realizado por equipe interdisciplinar (psiquiatra, psicólogo, assistente social, terapeuta ocupacional, enfermeiro e outros), com apoio da família e do próprio município. A unidade funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 18h, e está localizada na rua Vale do Tocantins, 51, no Morada do Vale. Mais informações pelo telefone 3846-7717.

Você também pode gostar