Policia

Xingó pede provas a Lemos

“Eu não vou em hipótese alguma dizer para ele: eu não sou bandido Lemos, bandido é você”, ironiza

 

IPATINGA – Em entrevista à imprensa no final da tarde de ontem (7), o Delegado Regional da Polícia Civil de Ipatinga, João Xingó, rebateu as acusações feitas pelo presidente da Câmara de Coronel Fabriciano e ex-delegado Francisco Pereira Lemos (PSD). O parlamentar acusou o delegado de ser bandido e de receber dinheiro para liberar os criminosos da delegacia.
Xingó disse que as acusações são descabidas, desprovidas, inconsistentes e irresponsáveis e alegou que já constituiu advogado de defesa. “Vou deixar isso nas mãos dos advogados”, afirma.
O delegado regional disse ainda que está surpreso com a atitude do vereador, já que recentemente foi procurado por Lemos, que teria sugerido a ele que ficasse à frente do inquérito que envolve a denúncia de tortura contra os policiais.
Sobre a acusação de que ele estaria realizando uma espécie de “caixa” com o dinheiro arrecadado na delegacia para a liberação dos presos, Xingó se defendeu relacionando os bens materiais que atualmente possui e negou que estaria fazendo qualquer tipo de reserva para o futuro. “Cabe à nossa corregedoria de polícia averiguar e mostrar se eu tenho algum patrimônio condizente com aquilo que eu ganho. Com relação a isso, eu estou tranquilo e vou dormir hoje o sono dos justos”, reitera.

CRIMINALIDADE
Outra acusação feita pelo vereador Lemos é que o aumento da criminalidade em Coronel Fabriciano estaria ligado à corrupção da Polícia Civil, chefiada por Xingó. O delegado pediu provas sobre a acusação. “Ele terá que provar isso. Eu não vou em hipótese alguma usar a mesma maneira de dizer para ele: “eu não sou bandido Lemos, bandido é você”. Eu não vou falar, porque isso seria descer ao grau dele. E ele tem interesse político na região”, conclui.

Simões considera acusações graves
Fabriciano
– O prefeito de Coronel Fabriciano (PT) se posicionou sobre a confusão das polícias e considerou as acusações do vereador Francisco Lemos gravíssimas. “Se as acusações feitas pelo vereador tiverem fundamento, somadas aos problemas já vividos pela cidade quanto à segurança pública, está aí então a principal causa do aumento da criminalidade no município”, considera o prefeito.
Chico Simões ainda pediu uma rápida investigação sobre as denúncias. “Há muito tempo tenho ouvido um zum zum zum desta possível corrupção e agora o Estado tem que averiguar isso. Se os policiais calarem a boca, eles estarão assumindo a culpa. Quanto a Lemos, se o que ele falou não for verdade, com certeza será punido por isso”, disse Simões.

Policiamento
Sobre o alto índice de criminalidade no município, Simões acredita que a cidade, assim como o Estado de Minas Gerais, carece de um policiamento maior, tanto da Polícia Militar como da Civil. “Como pode uma cidade com mais de 100 mil habitantes não ter um quartel da PM? Todo esse problema, somado a essas acusações, daqui a pouco nós não vamos poder sair nas ruas”, conclui.


Chico Simões diz que há muito tempo tem ouvido “um
zum zum zum”  sobre essa corrupção e pede apuração rápida

 

Você também pode gostar