Cidades

Nardyello lança candidatura e dispensa apoio de Silveira

Nardyello Rocha: “Com a minha campanha o Alexandre Silveira não precisa se preocupar, pois nós mesmos vamos coordená-la”     (Foto: Divulgação)

 

IPATINGA – O presidente da Câmara de Ipatinga, vereador Nadyello Rocha (PSD), anunciou ontem durante coletiva de imprensa o lançamento de pré-candidatura a prefeito nas eleições deste ano. Com a pré-candidatura de Nardyello, o cenário político de Ipatinga começa a definir seus contornos para o pleito de 7 de outubro. Até então já haviam colocado seus nomes na disputa a ex-deputada Cecília Ferramenta (PT) e o atual prefeito Robson Gomes (PPS). Nardyello surge como principal nome capaz de catalisar os partidos e setores sociais contrários ao Partido dos Trabalhadores e, ontem, durante a coletiva, o vereador já fez duras críticas e ironias em relação ao PT, sinalizando o que será a disputa e como pretende atrair os segmentos que não se alinham ao projeto petista.

DESVINCULAÇÃO
Outra posição reiterada durante a coletiva foi a tentativa de, desde já, tentar desvincular seu nome e sua campanha do secretário de Gestão Metropolitana Alexandre Silveira, do mesmo partido de Nardyello, o PSD. Sem rodeios, o vereador disse que sua campanha não vai ser gerenciada por Silveira, mas pelo diretório municipal da legenda e eventuais aliados: “Para aqueles que me perguntaram se será o Alexandre Silveira quem vai coordenar a campanha, vou responder novamente: não! Mesmo porque acredito que ele deva estar cansado. Ele coordenou três campanhas municipais: a do João Magno, do Chico Ferramenta e do Robson Gomes”, alfinetou.
O parlamentar assinalou que tem a garantia do presidente do diretório estadual do PSD, Paulo Simão, de que a condução da política de alianças e do processo eleitoral no município vai ser feito pela direção local. E prosseguiu: “Com a minha campanha ele [Silveira] não vai precisar se preocupar. Nós mesmos vamos coordená-la. Quero deixar claro que pretendemos fazer uma eleição limpa, de propostas e debates. Não vamos fazer uma campanha de baixo nível. Se isso ocorrer não terá partido de nós, mas se ocorrer nós também saberemos jogar esse jogo”, adiantou.

PLANO DE GOVERNO
Nardyello falou ainda que a partir de agora o trabalho será nas ruas, para ouvir a população e, a partir daí, definir um plano de governo que atenda aos anseio e às necessidades da cidade. “Estou ávido a discutir com os candidatos, seja no segmento de classe, escolas, no radio, televisão ou jornal impresso. Estarei à disposição para quantos debates acharem que for necessário para que a gente possa levar a nossa proposta à população”, comentou.

EXPERIÊNCIA
Nardyello Rocha afirmou estar preparado para assumir a Prefeitura tendo em vista sua trajetória política nos últimos 12 anos como vereador. “Sou, na Câmara, o vereador com o maior número de projetos aprovados, não só deste mandato, mas de toda história do Legislativo. Já ocupei todos os cargos da Casa. Fui presidente de comissões, de CPI, líder de governo e de oposição e, de forma também inédita, ocupo a presidência pela terceira vez”, elencou.
Nardyello lembrou que já também foi aprovado pelo teste das urnas, quando, em seu primeiro mandato, foi o vereador mais votado da legenda; já no segundo mandato, foi o mais votado da coligação e, por fim, em seu terceiro mandato, foi o vereador mais votado da cidade. “Isto é fruto da confiança que o eleitor tem em nosso trabalho”, declarou. “E também passamos pelo teste da gestão”, sublinhou.

ALIANÇAS
Questionado sobre o quem seria o seu vice, Nardyello disse que até o momento não existe compromisso com nenhum nome. “Nosso candidato a vice será definido a partir da política de alianças, com o envolvimento e decisão dos partidos que caminharem junto com o PSD”.
Sobre alianças com outros partidos, Nardyello disse que já existem conversas, mas sem definições. O parlamentar considera prudente fazer o anúncio quando os acordos estiverem definitivamente fechados.

Vereador parte para a ofensiva
O vereador Nardyello Rocha não parece disposto a perder tempo em sua campanha rumo à Prefeitura de Ipatinga, e já no lançamento da pré-candidatura partiu para o ataque contra sua principal adversária, Cecília Ferramenta e seu marido Chico Ferramenta (ambos PT). Na “estreia”, Nardyello “sugeriu” que o casal devolva aos cofres públicos R$ 30 milhões cobrados pelo TCU e disse que a cidade não é feudo.
Nardyello defendeu que sua candidatura pelo PSD vai preencher uma lacuna existente no município. “O nosso nome é o novo necessário para preencher exatamente o vazio sentido por aqueles eleitores que não estão satisfeitos com o governo atual e aqueles que não querem o retorno daquele governo que tem de devolver R$ 30 milhões à cidade, segundo o Tribunal de Contas da União (TCU)”, disparou Nardyello.

Descontentes
Apesar do discurso “anti-chiquista”, o vereador ressaltou que não tem nada contra o PT e que vai buscar apoio junto aos filiados simpáticos ao seu nome, e que não estão satisfeitos com a atual pré-candidata da legenda.
“Quero acreditar que para o processo começar eivado de legalidade, que antes de subir na tribuna ou no palanque a candidata petista e seu ex-marido vão devolver aos cofres públicos o que devem. A candidatura que está colocada é a continuação daquela de 2008, que enganou a população e falou que podia ser candidato. Os eleitores acreditaram e votaram. Depois não pôde assumir porque o candidato era ficha suja”, criticou.
Em suas críticas à pré-candidatura de Cecília Ferramenta, Nardyello disse ainda que após perder as eleições extemporâneas, Cecília e seu esposo foram embora para Bom Despacho. “Deixaram a cidade e a população de Ipatinga. Isso aqui não é feudo ou aquela terra que você põe o marido, depois a esposa ou o filho. Aqui tem dono, que é a população”, ponderou.

Você também pode gostar