Opinião

A extrema direita e a catástrofe no Sul

(*) Fernando Benedito Jr.

Não é preciso um exercício de imaginação muito distante para descobrir o que o governo Bolsonaro faria diante de uma catástrofe como a que vive o Rio Grande do Sul. Ou iria brincar de jet sky, fazer chacota, piadinhas idiotas, declarações imbecis no cercadinho ou ficar o dia inteiro nas redes sociais contando mentiras, ativadas por seus assessores do Gabinete do Ódio e instigando seus seguidores. Simples assim. Foi o que fizeram e o que fariam. Não se importam com gente.

Lembrem-se que durante seu governo Bolsonaro visitava os quarteis do Sul quase toda semana, puxando saco de generais em qualquer troca de comando, qualquer evento insignificante, buscando a simpatia dos militares para seu golpe. E olha que o Rio Grande do Sul é direitista.

Diante da crise climática no RS, os bolsonaristas, nazifascistas e outras categorias de extremistas de direita deveriam sair das redes sociais, onde continuam inventando mentiras e serem úteis em alguma coisa, resgatar um cachorro, um cavalo, uma pessoa, doar um galão de água ao menos. Mas, não. Continuam lá, propaganda inverdades, criando suas teorias conspiratórias ridículas. Não se conformaram com a ideia da derrota eleitoral, alimentados por aquelas ideias antidemocráticas e antirrepublicanas

Lê-se e ouve-se de tudo. Gente que até outro estava na porta dos quartéis orando para pneus e generais, implorando por um golpe de Estado, marchando como milicos mal treinados enrolados em bandeiras; hoje deploram o Exército, que consideram traidores por não terem apoiado o golpe. Mentem dizendo que não socorrem as vítimas, que tem nojinho da água da enchente, que não molham os pés em Porto Alegre. Uma insanidade só.  O influencer Felipe Neto que doou 220 purificadores de água e manifesta como pode sua solidariedade ao povo gaúcho é demonizado nas redes. Janja, coitada, nem se fala. E tá la, junto com o marido do governador Eduardo Leite, metendo os pés na lama.

O governo federal enviou navios, aviões, tropas, Força Nacional, R$ 5 bilhões de recursos, reduziu impostos, liberou saque do FGTS, etc. Mas nada disso importa e é real se depender da narrativa da extrema direita bolsonarista, calhorda.

É gente do mal, mesmo. Coisa da pior espécie que não pode estar no poder de forma alguma. A destruição no Sul e o comportamento dessa gente diante do cataclisma deixa isto muito claro.

(*) Fernando Benedito Jr. é editor do DP

Você também pode gostar

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com