Nacionais

Mineiro será relator da CPI

Odair Cunha: “Não sou nem mais nem menos governista do que qualquer deputado da bancada do PT”

 

BRASÍLIA – Escolhido para relatar a CPI mista do Cachoeira no Congresso, o deputado Odair Cunha (PT-MG) afirmou nesta terça-feira (24) que “não se trata de uma investigação que necessariamente vá para cima do Planalto ou de qualquer membro do governo”.
Segundo ele, as apurações serão centralizadas nas relações do empresário de jogos ilegais Carlos Cachoeira com políticos. Cunha negou que o fato de ser vice-líder do governo na Câmara represente algum impedimento para exercer a relatoria.

RELAÇÕES
“Todos nós aqui temos relações com o governo Dilma. É importante termos clareza que estamos investigando Carlinhos e suas relações. Não se trata de uma investigação que necessariamente vá para cima do Planalto ou de qualquer membro do governo. Queremos investigar o fato determinado que originou a CPI”, disse.
E completou: “Se no curso das investigações [surgir algum governista], a partir das investigações, do indício das provas, vamos produzir investigação, doa a quem doer”, afirmou.
Um assessor do Planalto, Olavo Noleto, teve contato com um dos principais interlocutores do grupo de Cachoeira. Integrantes da construtora Delta, empresa que mais recebeu dinheiro do Executivo federal desde 2007, também são citados nas investigações da Polícia Federal.

CONFIRMAÇÃO

Cunha foi confirmado ontem pela bancada de PT para a relatoria. O relator é o principal cargo, pois dita o ritmo das investigações.
Ele negou ter ocorrido veto do Planalto ao nome do deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), que, ao lado Paulo Teixeira (SP), também estavam na disputa.
“Desconheço [o veto] até porque Vaccarezza foi líder, tem respeito da bancada. Não é veto. É uma questão de conjuntura e momento”, disse.
O relator afirmou ainda que não pode ser considerado mais fiel que os outros colegas petistas. “Não sou nem mais nem menos governista do que qualquer deputado da bancada do PT.”

 

Você também pode gostar