Nacionais

Lula lidera pesquisa CNT/MDA com 37,3% das intenções de votos

(DA REDAÇÃO) – O ex-presidente Lula continua liderando as intenções de voto para as eleições de outubro com 20,7% da intenção espontânea e 37,3% da estimulada. O candidato do PSL, Jair Bolsonaro, vem em seguida com 15,1% na espontânea e 18,8% na estimulada. A 137ª rodada da pesquisa CNT/MDA ouviu 2002 entrevistados entre 15 e 18 de agosto e a margem de erro é de 2,2 pontos percentuais com 95% de nível de confiança. Na pesquisa espontânea, Lula subiu de 18,6% em maio para 20,7% em agosto. Bolsonaro subiu de 12,4% em maio para 15,1% em agosto. O índice de votos nulos e brancos caiu de 21,4% em maio para 18,1% em agosto. No mesmo período, os indecisos continuam tecnicamente empatados em 39,6% e 39,0%.

MIGRAÇÃO DE VOTOS

Outro cenário avaliado foi a migração de votos, caso Lula seja impedido de ser candidato. A candidatura do petista, que está preso na superintendência da Polícia Federal em Curitiba, foi registrada, mas pode ser impugnada pela Lei da Ficha Limpa. Nesse caso, o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad assumiria a cabeça da chapa, com a Manuela D’ávila (PC do B) como vice. Configurando-se esta hipótese, a maior parte dos 37,3% votos de Lula migrariam para Fernando Haddad (PT) 17,3%. Em relação aos demais candidatos, a tendência seria a seguinte:

Marina Silva (Rede), 11,9%; Ciro Gomes (PDT), 9,6%; Jair Bolsonaro (PSL), 6,2%; Geraldo Alckmin (PSDB), 3,7%; Guilherme Boulos (PSOL), 0,8%; Alvaro Dias (Podemos), 0,7%; Henrique Meirelles (MDB), 0,7%; Vera (PSTU), 0,5%; Cabo Daciolo (Patriota), 0,3%; João Amoêdo (Novo), 0,3%; João Goulart Filho (PPL), 0,1%; Branco/Nulo, 31,3%; Indeciso, 16,6%.

No caso do impedimento de Lula, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad herdaria a maioria dos votos, 17,3%

ESTIMULADA

Na pesquisa estimulada, quando o nome do candidato é apresentado ao entrevistado, a candidata da Rede Marina Silva vem em terceiro lugar, mas apresentou queda de maio a agosto, passando de 7,6% para 5,6%; Geraldo Alckmin (PSDB) subiu de 4,0% para 4,9% e Ciro Gomes (PDT) caiu de 5,4% para 4,1%. A intenção de voto nos demais candidatos é a seguinte: Álvaro Dias (Podemos) de 2,5% para 2,7%; Guilherme Boulos (PSOL) de 0,5% para 0,9%; João Amoêdo (Novo) de 0,4% para 0,8%; Henrique Meirelles (MDB) de 0,3% para 0,8%; Cabo Daciolo (Patriota) não aparecia (NA) e agora tem 0,4%; Vera (PSTU) NA e 0,3%; João Goulart Filho (PPL) NA e 0,1%; José Maria Eymael (DC) NA e 0,0%; Branco/Nulo 18,0% e 14,3%; Indecisos, 8,7% e 8,8%.

FIDELIDADE

A pesquisa valia também a fidelidade dos eleitores aos candidatos. Quando indagados se  decisão  de  votar  em no candidato citado é  definitiva ou  ainda  pode mudar até o dia da eleição? 82,3% dos eleitores de Lula dizem que a decisão é definitiva e apenas 17,7% diz que pode mudar o voto. Dos eleitores de Bolsonaro, 82,3% são definitivos e 29,3% pode mudar. Entre os apoiadores de Marina Silva (Rede), 33,9% são definitivos e 66,1% podem mudar. Os demais são: Geraldo Alckmin (PSDB), 36,7% (definitivo), 63,3% (pode mudar), Ciro Gomes (PDT), 37,3% (definitivo), 62,7% (pode mudar), Álvaro Dias (Podemos), 64,8% (defintivo), 35,2% (pode mudar).

 

A pesquisa completa pode ser acessada no link abaixo:

 

https://lula.com.br/wp-content/uploads/2018/08/Pesquisa-CNT-Elei%C3%A7%C3%B5es-15-a-18-de-Agosto.pdf

 

Você também pode gostar