Cultura

Exposição revela pluralidade das brasileiras

(Crédito: Divulgação/ João Rabelo)

 

TIMÓTEO – A mulher brasileira que é feita de amor, que espera na janela. As muitas Marias que com atitude, romantismo e sensualidade conquistam a todos e seguem a vida no passo e no compasso que só a mulher brasileira tem. Na abertura da 18ª edição da exposição “Essas Mulheres”, realizada na noite de ontem (13), na Fundação Aperam Acesita, as esculturas, pinturas, instalações ou objetos revelaram toda essa pluralidade. Com o tema “Mulher Brasileira”, a mostra reúne mais de 40 artistas da região do Vale do Aço e de cidades como Belo Horizonte, Itabira e Dionísio.

O presidente da Fundação Aperam Acesita, Venilson Vitorino, deu às boas-vindas ao público e agradeceu a participação das artistas. “A exposição ‘Essas Mulheres’ é muito importante para nós. Além de comemorar o Dia Internacional da Mulher, marca o início das atividades culturais da Fundação”, disse. Ele também destacou que a escolha do tema tem o objetivo de mostrar toda a brasilidade da mulher, especialmente no ano da Copa. “Nas mais de 40 obras expostas, teremos a oportunidade de percorrer os mais diversos pensamentos da brasileira e viajar no mundo feminino”, afirma.

TALENTOS

A inspiração para o quadro “O Carnaval”, da artista Keiko Urabe, veio da década de 60. Nascida no Japão, ela conta que quando chegou ao Brasil uma das primeiras coisas que ouviu foi o samba. “A música brasileira tem um estado de alegria natural e isso também está presente nas mulheres”, conta. Completando 15 anos de participação, Keiko afirma que na exposição nascem grandes artistas. “Aqui é o único lugar que todas são recebidas da mesma forma, sem distinção”, destaca. A estreante Élcia Aparecida Barroso confirma: “todas as obras ficaram em harmonia. É gratificante poder mostrar meu trabalho em uma exposição tradicional e divulgar meu talento para a comunidade”.

A abertura também contou com a apresentação das jovens alunas do curso de música da Fundação Emalto. “Essas Mulheres” fica em exposição no centro Cultural da Fundação Aperam Acesita, até o dia 11 de abril, de segunda a sexta-feira, das 10h às 12h e das 13h30 às 17h30.

Você também pode gostar