Cultura

“Artista” confirma favoritismo

RIO – O filme mudo francês O Artista levou o Oscar de melhor filme do ano e se consagrou como o grande vencedor da 84ª edição do prêmio. O longa, que possuía 10 indicações, levou cinco estatuetas para casa. A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese, que possuía 11 indicações, levou também cinco prêmios, mas nenhum em categorias principais.

Além de melhor produção do ano, O Artista também rendeu aos franceses Michel Hazanavicius e Jean Dujardin as estatuetas de melhor diretor e ator do ano, respectivamente. O longa é o segundo filme mudo na história do prêmio a vencer como melhor do ano. Antes dele, apenas Asas, na primeira edição do Oscar, em 1929, havia conseguido vencer a categoria sem possuir diálogos.

A Invenção de Hugo Cabret arrebatou cinco troféus, mas todos em categorias técnicas. Meryl Streep venceu a disputa contra Viola Davis (de Histórias Cruzadas) e ganhou o terceiro Oscar da carreira por sua interpretação da ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher em A Dama de Ferro.

Entre os coadjuvantes, não houver surpresas. Octavia Spencer levou a estatueta por Histórias Cruzadas (a quinta atriz negra a vencer na categoria de coadjuvante) e Christopher Plummer faturou o prêmio por Toda Forma de Amor, tornando-se aos 82 anos o ator mais velho a conquistar um Oscar (o mérito até então era de Jessica Tandy, que venceu como melhor atriz em 1990, aos 80 anos, por Conduzindo Miss Daisy).

 

BRASIL PERDE

O Brasil não conseguiu colocar as mãos novamente em uma estatueta do Oscar. As chances eram boas já que Real in Rio, canção de Carlinhos Brown e Sérgio Mendes pelo filme Rio, tinha apenas uma concorrente em canção original. Mas os votantes escolheram justamente Man or Muppet, de Bret McKenzie, do filme Os Muppets.

Carlinhos Brown, que estava presente na cerimônia, comentou sobre a derrota em seu perfil no Twitter: “Não foi dessa vez, mas valeu muito! É uma honra estar aqui representando o Brasil.”

A cerimônia tentou ser dinâmica colocando duplas de apresentadores para anunciar dois ou até três prêmios. A maioria dos agradecimentos foi breve. Os vencedores de prêmios honorários, como a apresentadora e empresária Oprah Winfrey, não tiveram sequer a chance de agradecer, tendo sua participação limitada apenas a aparecer no palco com a estatueta nas mãos.

Pela nona vez, a cerimônia foi comandada pelo ator Billy Crystal que abriu o evento fazendo paródias dos filmes indicados. O único número musical da noite foi o da cantora Esperanza Spalding que interpretou What a Wonderful World na homenagem aos artistas e técnicos de cinema que morreram no último ano. O Cirque du Soleil também fez uma apresentação na cerimônia.

 

Confira a lista

dos premiados

 

Melhor Filme – O Artista

Melhor Diretor – Michel Hazanavicius, O Artista

Melhor Ator – Jean Jujardin, O Artista

Melhor Atriz – Meryl Streep, A Dama de Ferro

Fotografia – A Invenção de Hugo Cabret

Direção de Arte – A Invenção de Hugo Cabret

Figurino – O Artista

Maquiagem – A Dama de Ferro

Melhor Filme Estrangeiro – A Separação, Irã

Melhor Atriz Coadjuvante – Octavia Spencer, Histórias Cruzadas

Melhor Montagem – Millenium – Os Homens Que Não Amavam as Mulheres

Edição de Som – A Invenção de Hugo Cabret

Melhor Mixagem de Som – A Invenção de Hugo Cabret

Melhor Documentário – Undefeated

Melhor Animação – Rango

Efeitos Visuais – A Invenção de Hugo Cabret

Melhor Ator Coadjuvante – Christopher Plummer, Toda Forma de Amor

Melhor Trilha Original – O Artista

Melhor Canção Original – Man Or Muppet, de Bret McKenzie – Os Muppets

Melhor Documentário (curta-metragem) – Saving Faces

Melhor Curta de Animação – The Fantastic Flying Books of Mr. Morris Lessmore

Melhor Curta Live Action – The Shore

Melhor Roteiro Adaptado – Os Descendentes

Melhor Roteiro Original – Meia-noite em Paris

 

Você também pode gostar