Cidades

Usiminas religa AF-1 e aumenta a produção de gusa para 11 mil t./dia

IPATINGA – O presidente da Usiminas Sérgio Leite, acompanhado de lideranças políticas e empresariais, religou nesta terça-feira o alto-forno número 1 da siderúrgica. Com a entrada do equipamento em operação, a Usiminas passará a produzir 11 mil toneladas/dia de gusa, ampliando também a capacidade produtiva de laminados e aços planos. A Usiminas investiu R$ 80 milhões na reforma que durou mais de mil dias – a paralisação foi iniciada em junho de 2015.
Durante a solenidade, Sérgio Leite ressaltou que o religamento do AF 1 tem um significado importante para colocar as linhas de produção da Usiminas a plena carga. Ele destacou que o cenário econômico, que apresentava melhoras, voltou a ter indicadores de crescimento abaixo do previsto, conforme o Boletim Focus, o que pode comprometer algumas expectativas da Usiminas para este ano. Leite lembrou que a companhia encerrou 2017 com o Ebitida dos últimos anos. “O País cresce, mas perdeu o ritmo nas últimas semanas”, disse, afirmando que o novo cenário não intimida a empresa. “Para ter resultado é preciso inovar”, salientou.

ALTO-FORNO 1
Em operação desde 1962, quando foi inaugurado, o AF 1 acompanhou o desenvolvimento da Usiminas e do Vale do aço. Ao longo das décadas, produziu mais de 29,5 milhões de toneladas de ferro-gusa até sua paralisação em 2015. Sérgio Leite destacou o trabalho da equipe envolvida na reforma do AF 1 e o simbolismo da retomada de suas operações. “Embora ainda tenhamos grandes desafios pela frente, esta data merece ser comemorada. Estamos celebrando, neste mesmo mês de abril, 62 anos da constituição da Usiminas, num momento importante, quando colocamos a Usina de Ipatinga em plena carga de gusa e na produção de placas, após anos recentes extremamente desafiadores”, ressaltou.

Você também pode gostar