Cidades

Servidores demitidos cobram salário e acerto

Servidores demitidos se reuniram na porta da PMI para cobrar do prefeito Robson posição quanto ao pagamento

 

IPATINGA – As demissões dos servidores da Prefeitura Municipal ocasionadas pelo Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado entre o Ministério Público e a Administração ainda estão causando problemas para os ex-servidores. Cerca de 400 ex-funcionários contratados por meio de função pública foram exonerados em dezembro de 2011 e ainda não receberam o último salário a que tinham direito. De acordo com o TAC, 1.029 funcionários tiveram que ser demitidos.
Por causa do atraso no recebimento dos direitos trabalhistas e do salário do último mês trabalhado, os funcionários realizaram manifestação em frente à Prefeitura na tarde de ontem (29). Eles queriam buscar uma resposta do prefeito Robson Gomes (PPS) quanto às datas dos pagamentos.
Segundo Wanderley Fernandes, desde o último dia 15 de dezembro ele aguarda o depósito do salário. “Estou aguardando há 74 dias e eles ainda não acertaram com a gente. Fomos demitidos porque eles disseram que não tinham mais condições de nos manter no serviço público. Mas essa situação de a gente não ter recebido ainda é muito complicada pra todo mundo. Faltam salário e férias vencidas”, diz o ajudante de manutenção hidráulica.

COMPROMISSOS
Mário Laurindo, 61 anos, também foi demitido no último mês do ano e disse que está tendo dificuldade para cumprir com os seus compromissos financeiros. “Temos muitas coisas pra pagar em dia. Sabemos que o prefeito tem que dar a ordem para que possam nos pagar e estamos aguardando a ajuda do sindicato. Mas até agora nada nos foi passado e todos os salários continuam atrasados”, declarou Mário.
O ajudante de manutenção hidráulica alega também estar vivendo a mesma situação. “Não nos deram nenhuma data para a gente receber. Sou pai de família e tenho contas a pagar, mas com o meu dinheiro na mão deles, todas as minhas contas estão atrasadas. A gente vem e procura a administração e a tesouraria e eles nunca informam nada. Não têm nem uma data prevista”, reforçou Wanderley Fernandes.
O Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público de Ipatinga (Sintserpi) tem ciência da situação, mas devido às reuniões da campanha salarial e negociações junto à Prefeitura, o Sindicato não participou diretamente da manifestação dos ex-funcionários.

VERSÃO
Um funcionário da Secretaria de Administração afirmou à reportagem do DIÁRIO POPULAR que algumas pastas da administração municipal não dispõem de dinheiro em caixa para efetuar os pagamentos atrasados. Segundo o servidor, que não quis se identificar, os pagamentos são realizados pela Administração, mas para isso é necessário que as demais secretarias enviem as verbas para que os pagamentos sejam efetuados. “A Administração já pagou todos os funcionários que faziam parte desta pasta. Agora o que temos que fazer é esperar que as outras secretarias nos envie os recursos para quitar os salários dos outros funcionários”, conta.

PMI
Como não tem o dinheiro em caixa, a Prefeitura precisa remanejar recursos. Em nota, a Prefeitura de Ipatinga informou que o pagamento aos servidores que exerciam função pública será feito tão logo seja votado na Câmara o projeto de Lei (suplementação) que prevê a liberação de recurso para este fim.

Você também pode gostar