Cidades

Em reunião na Câmara, Regional V pede atenção para seus bairros

Representantes da Regional V fizeram cobranças ao Legislativo na reunião de ontem    (Crédito: André Almeida)


IPATINGA
– Representantes de entidades assistenciais da Regional V, composta pelos bairros Canaã, Canaãzinho, Alto do Boa Vista, Vila Celeste, Vale do Sol, Vista Alegre, Chácaras Oliveira e Forquilha, estiveram ontem (16) no plenário da Câmara Municipal para solicitar um parecer dos vereadores da Casa sobre aos problemas vivenciados pela cidade – e também o que está sendo previsto para o orçamento de 2013. O documento com a previsão de gastos e arrecadação para o ano seguinte ainda será votado pelo Legislativo.
No encontro, foram discutidos pontos que devem ser contemplados com melhorias, para inclusão no orçamento. São obras que abrangem várias áreas de interesse público (veja abaixo), que vão desde a saúde, passando pelo setor de recursos humanos do município até chegar à assistência social, área que vive um grave momento em Ipatinga, uma vez que 19 entidades mantidas pelo Governo tiveram seus convênios cortados, enquanto outras estão convivendo com seus recursos reduzidos pela Administração.
Os representantes convidaram para o evento diversos membros da sociedade civil ipatinguense, além dos 13 vereadores da atual legislatura da Casa. Apenas dois compareceram: Agnaldo Bicalho e César Custódio, ambos do PT. No fim do encontro, eles tomaram a palavra e deram um parecer sobre os pedidos da regional.
A assistente social Érica Beltrame, uma das organizadoras do encontro, disse que é preciso que todas as regionais do município sigam o exemplo da Regional V e se unam em torno das necessidades dos bairros. A cidade de Ipatinga possui sete regionais, que são aglomerações de bairros próximos com o intuito de ajudar o Executivo a gerenciar melhor cada localidade.

ESTUDO
Érica, que também responde pelo Lar dos Velhos Paulo de Tarso e ainda pelo Movimento da 3ª Idade no município, contou que a sua regional vem trabalhando desde o início deste ano. Reuniões mensais foram feitas para a montagem de uma “rede” em torno das necessidades dos cidadãos. Um estudo então foi elaborado pelo grupo e desde o mês passado ele busca formas para apresentar o resultado às autoridades competentes. Em setembro, os representantes chegaram a se reunir com os candidatos a prefeito de Ipatinga para exibir a análise e pedir que o futuro eleito visse com carinho a questão.
E nesta terça foram os vereadores que conheceram a fundo a realidade dos moradores da Regional V.
A baixa adesão dos parlamentares, porém, foi criticada por Érica. “Infelizmente, a Câmara não esteve toda presente. Todos os vereadores foram convidados, mas tivemos a presença apenas de dois”.
Junto com seu companheiro de legislatura, Agnaldo avaliou positivamente a iniciativa da Regional V. “Ainda bem que a comunidade chamou os vereadores”, disse. Ele ainda contou que os presentes à reunião de ontem serão chamados para as futuras discussões do Orçamento 2013, bem como no dia da votação do projeto, ainda sem data marcada.
Bicalho informou ainda que as reivindicações dos moradores feitas ontem possuem grandes chances de serem inseridas sob a forma de emendas ao projeto do Orçamento. “Devem entrar”, disse o vereador petista.

 

Principais pedidos da Regional V de Ipatinga

Saúde:

* Continuidade de implantação do PSF na comunidade, assim como ampliação do espaço físico;
* Mais profissionais da saúde – médicos;
* Aumento da cota de exames.

Educação:
* Combate à evasão escolar na adolescência;
* Retorno do período integral das creches para crianças de 4 a 5 anos de idade.

Assistência social:
* Mais deslocamento das crianças de 0 a 6 anos para atividade socioeducativas;
* Implantação do centro dia para idosos e de atividades socioeducativas para eles;
* Mais dispositivos para as famílias com realidade em dependência química;
* Retorno dos convênios junto às entidades socioassistenciais.

Serviços urbanos:
* Avaliação dos pontos críticos do trânsito na regional;
* Melhorias no serviço de limpeza pública.

Segurança:
* Retorno do Projeto “Olho Vivo”;
* Maior agilidade na implantação do Centro de Internação de Adolescentes.

Recursos humanos:

* Contratar apenas profissionais preparados para os cargos de chefia;
* Implantação de uma diretriz de Governo para o trabalho Regional.

Você também pode gostar