Cultura

Competição movimenta butecos em Ipatinga

Bar do Romero, no Novo Cruzeiro, um dos participantes do Comida di Buteco: festival incrementa contratação de mão-de-obra   (Crédito: Arquivo Pessoal)

 

IPATINGA – O festival gastronômico ‘Comida di Buteco’ tem movimentado os 15 bares participantes da cidade. O programa teve início em 13 de abril e desde então os clientes começaram a visitar os butecos, que neste ano preparam os pratos tendo o queijo de Minas Gerais como ingrediente obrigatório. O concurso termina no próximo dia 29 de abril e o resultado está previsto para o dia 7 de maio.
Ipatinga participa da competição pela quinta vez, a terceira consecutiva. O coordenador do programa esteve em Ipatinga e conversou com o DIÁRIO POPULAR. Filipe Pereira ressaltou a importância da periodicidade do concurso. “Ipatinga participou do concurso duas vezes e depois deu uma parada. Há três anos eu estou coordenando o projeto na cidade e espero dar sequência no próximo ano. Acho essencial a cidade manter a continuidade para fortalecer ainda mais o concurso. E fazer com que as pessoas conheçam e se interessem pelos butecos”, considerou Filipe Pereira.
O objetivo do concurso é resgatar a culinária de raiz. “A gente vem para uma cidade e tenta oferecer uma nova opção de lazer e turismo. É ainda uma forma de motivar e otimizar o trabalho desses donos de butecos. Tentar fazer com que eles consigam evoluir não só na parte da culinária mas também na parte de negócios”, explicou o coordenador do concurso em Ipatinga.

PÚBLICO
Nazareth Matos é proprietária do Bar da Aninha, no Cidade Nobre, e está participando do concurso pela primeira vez. “A aceitação está me surpreendendo! Porque na verdade eu não esperava que o bar fosse ficar tão movimentado desse jeito. Os dias estão sendo muito corridos, mas estamos fazendo tudo da melhor forma possível”, contou Nazareth.
Durante a competição, os bares chegam a registrar um aumento de até 70% da clientela. José Wilson, do Galpão, no Bethânia, participou de todas as edições do concurso e foi o vencedor em 2010. “O fluxo de clientes aumentou muito e este ano está muito superior em relação aos outros anos. Acho que as pessoas estão abraçando o projeto de uma forma maior nessa edição. E como eu já tenho experiência, por ter participado em todos os anos, as pessoas já estavam esperando para saber qual seria o meu prato nesse quinto ano”, considerou José Wilson.
Nazareth Matos teve que aumentar sua equipe de trabalho para conseguir receber os clientes. “O movimento no bar dobrou e eu tive que contratar mais funcionários. Estamos nos esforçando para que as porções sejam rápidas, o atendimento seja bom e para que a cerveja esteja sempre gelada. As pessoas podem sempre esperar coisas boas e um prato bem temperado e feito com muito amor!”, garantiu a empresária.
Filipe Pereira disse estar muito satisfeito com a realização do projeto em Ipatinga. “A intenção é que os bares possam evoluir, seja melhorando os serviços ou até mesmo abrindo outros bares, porque o concurso gera emprego na área gastronômica e aumenta o desenvolvimento econômico. Isso reflete em até 30% de aumento nas contratações”, comemorou Filipe.

SATISFAÇÃO

Para José Wilson, é importante atender bem às exigências dos clientes. “Há cada ano acredito que os clientes ficam mais exigentes e a qualidade tanto do atendimento quanto dos pratos têm que melhorar. Os bares ficam cheios todos os dias e o nosso principal objetivo, além de concorrer, é atrair mais clientes e fazer com que os visitantes continuem frequentando o bar. Queremos conquistar cada vez mais clientes”, relatou José Wilson.

Você também pode gostar