àrea de notificações àrea de notificações àrea de notificações àrea de notificações

Nenhum outro registro encontrado!
Email enviado com sucesso!
Falha ao enviar o email!
18/05/2017 11h53

Golpista e traidor da pior espécie, Michel Temer fala em conspiração

O golpista Michel Temer afirmou nesta quinta-feira, durante encontro com o senador Sérgio Petecão (PSD-AC), que não vai cair e atribuiu as denúncias de compra do silêncio de Eduardo Cunha (PMDB) a uma conspiração.

(DA REDAÇÃO) – O golpista Michel Temer afirmou nesta quinta-feira, durante encontro com o senador Sérgio Petecão (PSD-AC), que não vai cair – sem qualquer ironia, sobre deixar a peteca cair – e atribuiu as denúncias de compra do silêncio de Eduardo Cunha (PMDB) a uma conspiração.
Na saída da reunião com Michel Temer, Petecão disse que o presidente estava tranquilo durante o encontro, e que falou muito em “conspiração”. “Essa foi a palavra que ele mais usou”, disse o senador. Segundo ele, Temer deverá fazer ainda hoje um pronunciamento ao país. Após o encontro que teve com o coordenador da bancada do Acre, Sérgio Petecão (PSD), os demais compromissos foram cancelados, por volta das 10h.
A agenda do presidente Michel Temer foi alterada no meio da manhã de hoje (18). A agenda inicial previa reuniões com parlamentares do PSDB, PMDB, PP, DEM, PTB, PSD e PSB, certamente para conspirar contra o povo brasileiro, preparando o pacote de perversidades das reformas trabalhista e da Previdência.
De acordo com o Palácio do Planalto, o presidente terá hoje despachos internos.

“FIRME”
“Ele falou várias vezes: 'não vou cair, vou ficar firme, estou firme'. Pediu as fitas, os áudios, falou também que vai fazer pronunciamento em rede nacional. Falou que vai ver os vídeos e os áudios. Acredita que é uma conspiração. Nesse momento que o governo começa a dar sinais. Esse fato [as denúncias] prejudica o país. Todo mundo está preocupado”, acrescentou o senador.

A DENÚNCIA

No início da noite de quarta-feira (17), o jornal O Globo publicou reportagem, segundo a qual, em encontro gravado em aúdio, em março deste ano, pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, Temer teria sugerido que se mantivesse pagamento de mesada ao ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e ao doleiro Lúcio Funaro para que estes ficassem em silêncio. Batista, conforme a reportagem, firmou delação premiada com o Ministério Público Federal e entregou gravações sobre as denúncias.

CONFIRMAÇÃO
Em nota, tentando justificar o encontro o proprietário da JBS, que não é o Lulinha,diga-se, a Presidência da República acabou confirmando a relação denunciante e denunciado. Conforme a nota, o presidente Michel Temer "jamais solicitou pagamentos para obter o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha", que está preso em Curitiba, na Operação Lava Jato. A nota diz ainda que o presidente "não participou e nem autorizou qualquer movimento com o objetivo de evitar delação ou colaboração com a Justiça pelo ex-parlamentar".
Segundo a Presidência, o encontro com o dono do grupo JBS foi no começo de março, no Palácio do Jaburu. "Não houve, no diálogo, nada que comprometesse a conduta do presidente da República".
A nota do Palácio nada diz sobre a frase pronunciada pelo presidente depois que o Joesley Batista lhe comunica que está pagando R$ 500 mil pelo silêncio de Cunha:
- "Tem que manter isso, viu?" – disse o golpista Michel Temer.

COMPARTILHAR:
leia Edição Digital
assine agora!
25_05_2017_00_17_13 25_05_2017_00_17_13

últimas

Subir
Descer
» Publicidade
Banner Cenibra
PUBLICIDADE

Shopping

topo SIGA Fique por dentro das últimas notícias

Redação

Interag

Av Juscelino Kubitschek, 1290Jardim Panorama Ipatinga-MG / CEP:35164-245 - diariopopular.redacao@gmail.com

Telefone: (31)3827-0369

Google Maps
© 2000-2017. Jornal de Verdade.