Cidades

Vereadores querem interditar a cadeia pública de Timóteo

TIMÓTEO – Durante reunião ordinária na tarde desta quinta-feira (2), os parlamentares de Timóteo falaram sobre a precária situação dos presos na cadeia da cidade. Além da superlotação, os vereadores Moacir de Castro (PTB) e Adriano Alvarenga (PSB) ressaltaram que a população carcerária vive em condições desumanas. “Essa cadeia não pode funcionar, tem que ser interditada. É um absurdo as coisas que acontecem lá. Temos que denunciar. Não queremos regalias para eles. Não é isso”, disse Moacir.

O vereador Adriano Alvarenga fez coro com colega. “Não queremos regalias para os presos. Queremos condições humanas. Amanhã [hoje] encaminharemos um relatório sobre a situação precária e desumana dos presos para as autoridades. A solução é interditar mesmo”, ressaltou Alvarenga.

MOTIM
Os vereadores da cidade se manifestaram a respeito do assunto depois de a unidade registrar um início de rebelião. Durante a madrugada da última terça-feira (30), os detentos da cadeia realizaram um motim na unidade prisional alegando superlotação. Foram queimados colchões, quebradas três celas e também as divisórias dos banheiros. Um preso se feriu.

A Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) informou por meio de nota que nove detentos que iniciaram o movimento foram transferidos para o Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. O diretor geral do presídio de Timóteo, Leandro Cristiano Macedo, informou que além dos nove presos transferidos para Contagem, nenhum outro nome está previsto para ser levado para outras penitenciárias.
Segundo informações da direção da unidade prisional, a capacidade do local é de 80 presos e após o motim haviam 196 detentos no local.

OUTROS PROJETOS
Durante a reunião desta quinta, foi aprovado ainda, em primeira votação, um projeto que autoriza o poder Executivo a instituir na cidade o Programa Municipal de Equoterapia. Ainda em primeira etapa foi apreciado o projeto de lei nº 3.720, que dispõe sobre a obrigatoriedade das farmácias e drogarias instaladas no Município a disponibilizarem ao público a lista de medicamentos gratuitos e com descontos do programa Farmácia Popular, e ainda o Projeto de Lei nº 3.721, que cria o Serviço Disque-Idoso em Timóteo.

Você também pode gostar