Nacionais

Temer reconhece que governo é um desastre e pede ajuda a rádios

Temer: “Quando o governo faz ou vai fazer alguma coisa, logo em seguida pode-se ouvir objeções logo contra-objetadas” (Agência Brasil)

BRASÍLIA – Em cerimônia de assinatura do termo aditivo para a migração de 240 emissoras de rádio AM para a banda FM, Michel Temer reconheceu que seu governo é um desastre e pediu a ajuda das empresas de radiodifusão, no sentido de informar a população sobre as ações do governo federal, em especial a definição de teto para os gastos públicos e as parcerias para obras de infraestrutura. O “may day” é uma constatação de que se governo não está dando conta do recado e enfrenta uma situação mais tempestuosa do que esperava.

SALVAMENTO
Citando o filme francês “Si Tous les Gars du Monde” [Se Todos os Homens do Mundo], no qual radioamadores ajudam a evitar a morte da tripulação de um navio que estava naufragando, Temer convocou os radiodifusores a ajudá-lo na missão de evitar que o Brasil naufrague.

Ao descrever cenas deste filme, Temer lembrou que, durante o naufrágio, foram enviadas, a partir do navio, mensagens de socorro. “Ao captar a mensagem um radioamador se comunicou com vários radioamadores do mundo, que se comunicam com os governos dos respectivos países, e que, por fim, enviam missões de salvamento”, disse em meio a um discurso de defesa da proposta de limitação dos gastos públicos. “Teto de gastos é cortar na própria carne porque, convenhamos, qual é o governante que não quer gastar o máximo possível? Gastar o máximo possível pode gerar popularidade. E restringir os gastos pode gerar inicialmente uma impopularidade”, disse.

BATE-REBATE
Ao reafirmar sua posição favorável à liberdade de imprensa e sua relevância para a apresentação de contraditórios e contraposições, Temer disse que o que mais tem acontecido no país é o debate das formulações e das ideias. “Quando o governo faz ou vai fazer alguma coisa, logo em seguida pode-se ouvir objeções logo contra-objetadas”, afirmou. “Com este ato de hoje [assinatura do termo aditivo para a migração de rádios AM para a banda FM], os senhores vão [poder] se comunicar com o povo todo por rádio FM, e vão ajudar o Brasil a impedir que ele naufrague”, acrescentou, citando novamente o filme francês.

Você também pode gostar