Cultura

Tavinho Moura divulga livro no Vale do Aço

O autor durante lançamento do livro, ontem (25), em reserva da Cenibra, em Ipaba      (Foto: André Almeida)

IPABA – O músico Tavinho Moura lançou ontem (25), no Vale do Aço, seu segundo livro – “Pássaros Poemas – Aves na Pampulha”. A obra traz imagens de 150 aves fotografadas pelo artista na região da Pampulha, em Belo Horizonte.
Tavinho contou que o trabalho de catalogar todos os pássaros durou cinco anos. Segundo ele, a ideia do livro veio de uma forma engraçada: “começou pelo fato de eu gostar muito de tomar cerveja. Os amigos começaram a implicar com a minha barriga e eu resolvi fazer caminhada na região da Pampulha, onde eu moro”, disse. Junto com as caminhadas, veio o interesse pelas aves que passam pelo local. Um amigo recomendou que ele documentasse os pássaros por meio de fotos e a ideia vingou. Foram catalogadas aves em três espaços: o zoológico, o jardim botânico e a Lagoa do Nado. Ao perceber que as imagens estavam ficando boas, resolveu transformar o projeto em um livro. Além das fotos, a obra traz poemas de vários autores brasileiros e textos escritos pelo próprio Tavinho.
O lançamento aconteceu na Fazenda Macedônia, Reserva Particular do Patrimônio Natural da Cenibra, localizada no município de Ipaba. A promoção do livro em uma área da empresa não foi à toa, já que a companhia foi uma das financiadoras da obra por meio da Lei de Incentivo à Cultura. Além disso, o local escolhido abriga o Projeto Mutum, que busca reintroduzir aves silvestres ameaçadas de extinção de volta ao meio ambiente. Cerca de 170 espécies de pássaros, além de outras 30 espécies de mamíferos, vivem na fazenda de quase três mil hectares.
Presente no lançamento, o presidente da Cenibra, Paulo Brant, elogiou o trabalho de Tavinho Moura. Para o chefe da empresa, a obra se assemelha à filosofia da companhia em sua delicadeza.
Durante o evento, o autor participou de uma sessão de autógrafos, contou algumas histórias sobre os pássaros retratados por ele no livro e conversou com os presentes. Ele aproveitou a oportunidade para agradecer a ajuda de Ricardo Gontijo, especialista em aves que colaborou na composição do livro, e Mariana Hardy, designer que fez o projeto gráfico da obra, que também traz aquarelas da artista Sandra Bianchi.
Quando o assunto são os trabalhos futuros, o artista afirma que quer se preocupar apenas com o projeto atual: “pode ser que aconteça, mas primeiro eu tenho que dar conta desse filhão. A resposta ao livro está sendo muito boa, todo mundo está gostando do trabalho”, disse o autor, que agora deseja que o assunto entre nas rodas de discussão e que futuramente as pessoas se inspirem em seu trabalho e “troquem a gaiola pela fotografia”.
Tavinho é mineiro de Juiz de Fora. Ele é cantor e compositor e tem parcerias com diversos artistas da Música Popular Brasileira. Já gravou 14 discos e criou várias trilhas para o cinema. Além de Pássaros Poemas, escreveu também Maria do Matué – Uma estória do Rio São Francisco.


O pica-pau amarelo, uma das aves encontradas e registradas por Tavinho Moura

Você também pode gostar