Policia

Suspeito de assassinato, casal de irmãos se entrega à polícia

Simone foi morta a facadas em lanchonete; rixa com irmãos foi motivação para o crime
(Crédito: Arquivo pessoal)

IPATINGA – Se apresentou à 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil nesta terça-feira (30) o homem suspeito de matar a facadas uma mulher em uma lanchonete no bairro Bethânia na quarta-feira passada. Roberson Flávio Santana, de 30 anos, prestou depoimento um dia depois da irmã, Roseane Noemi de Souza Santana, de 28 anos, que havia se entregado na segunda-feira.

Segundo o registro da Polícia Militar, as irmãs Simone Agapito da Silva, 36 anos, e Elen Cristina Agapito, 32 anos, estavam no estabelecimento localizado à avenida Alberto Giovanini quando Roseane chegou ao local. A mulher seria uma desafeta antiga de Simone e as duas discutiram.

EM LIBERDADE
Roseane, então, teria se retirado da lanchonete e voltado algum tempo depois em companhia do irmão Roberson, que agrediu as mulheres e de posse de uma faca, feriu Simone no pescoço e Elen nas costas. A irmã mais nova foi levada para o Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, e liberada no dia seguinte. Simone, entretanto, não resistiu aos ferimentos e morreu. Logo após cometerem o crime, os irmãos fugiram do local com a ajuda do pai, o policial civil aposentado José Ivanil Santana, que foi preso momentos depois da ocorrência.

De acordo com o delegado responsável pelo inquérito, Eduardo Vinícius Carvalho, no depoimento, os suspeitos apresentaram suas versões sobre os fatos e alegaram que também sofreram agressões por parte das vítimas no dia do assassinato.

Por não terem sido presos em flagrante, os irmãos foram liberados e aguardarão a conclusão do inquérito em liberdade. Segundo o delegado, não há fundamentos para pedir a prisão deles, uma vez que os irmãos não são dados a práticas criminosas.

INQUÉRITO

O inquérito que apura o atentado às duas irmãs está sendo conduzido pela Delegacia de Homicídios de Ipatinga. Até o momento, foram ouvidos parentes das vítimas, testemunhas que presenciaram os fatos e até o dono do estabelecimento onde tudo aconteceu. Nesta terça-feira, investigadores realizaram diligências sobre o caso. O prazo legal inicial para conclusão é de 30 dias, podendo ser expandido caso haja necessidade. “Vamos fazer o possível para que o inquérito seja encerrado nesse prazo. Estamos empreendendo todas diligências para que seja encerrado o mais rápido possível”, afirmou o delegado.

PAPEL INVERSO
Os depoimentos colhidos ontem serão analisados e anexados às demais provas do inquérito policial que irá apurar o envolvimento dos suspeitos no crime. Também deverá ser juntado aos autos, um antigo processo em que vítimas e suspeitos aparecem em papéis inversos. Em 2004, Simone havia sido encaminhada para a Delegacia de Ipatinga como autora em um crime de sequestro e lesão corporal contra Roseane. Na época, o caso foi investigado pela Delegacia de Mulheres da cidade e Simone foi indiciada. O delegado Eduardo Vinícius afirmou que esse processo poderá ser usado futuramente caso haja o entendimento de que ele contribuirá como reforço nas provas sobre o caso.

Você também pode gostar