Cidades

Sintserpi adia greve e vai tentar negociar

Sindicalista Geraldo Campos explica que tentará nova negociação para elevar o índice

 

IPATINGA – Mais uma vez a proposta da Prefeitura Municipal não agradou aos servidores públicos, mas os trabalhadores decidiram tentar mais uma negociação. Após assembleia na noite de ontem (5), eles optaram por manter o estado de greve e suspenderam a paralisação prevista para esta semana. “Não vamos entrar em greve amanhã (hoje) conforme estava previsto. Optamos por essa decisão para não perder o que foi conquistado até o momento. E vamos tentar negociar com a Prefeitura mais uma vez e até a próxima quinta-feira (8) teremos uma posição definida”, disse a presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Ipatinga (Sintserpi), Helenir de Lima.
Foram realizados quatro encontros com a administração municipal, mas a PMI manteve o mesmo reajuste oferecido desde o início de fevereiro – ou seja, 6,08% a ser pago escalonado a partir de julho.
Segundo o secretário geral do Sintserpi, Geraldo Campos, o reajuste ainda está longe de satisfazer os servidores. “Não é o que estávamos esperando”, afirmou Geraldo, acrescentando que o índice reivindicado é 19,2%. Devido ao início do período eleitoral, o governo tem até o dia 9 de abril para finalizar as negociações. “Eles alegam não ter condições de pagar o que solicitamos. E nós queremos lembrar que nos últimos anos os trabalhadores só têm recebido recomposição inflacionária, e com isso os salários estão defasados”, informou o sindicalista.

NEGOCIAÇÃO
O sindicato espera negociar um índice maior. “Pedimos autorização da assembleia para negociar mais uma vez com a Prefeitura e por isso não votamos hoje (ontem) a proposta. Acreditamos que temos condição de avançar no índice de reajuste”, declarou Helenir de Lima. “Essa taxa de reajuste não vai nem atingir o salário mínimo para aqueles que recebem menos. Isso irá manter a política de abono salarial e não queremos que isso continue”, disse Geraldo Campos.
Hoje o sindicato tentará agendar uma reunião com o Executivo para tratar da situação. E uma nova assembleia está marcada para quinta-feira (8). Na ocasião, a proposta apresentada será votada pelos servidores.

MUDANÇA
Segundo Geraldo Campos, as mudanças na proposta enviada pela Prefeitura são referentes à jornada de trabalho e ao valor do vale refeição. “Eles aceitaram diminuir a carga horária para cinco horas de trabalho diário. Isso irá contemplar a maioria dos servidores. Essa foi realmente uma das poucas solicitações que foi atendida até o momento”, contou Geraldo.
Ainda de acordo com o sindicato, a última redução na jornada foi feita em 2009 e beneficiou as atendentes de consultório odontológico, auxiliares de enfermagem e os fiscais de postura.
Outra reivindicação atendida pela Prefeitura foi o aumento do vale refeição de todos os servidores públicos. “Além da redução da jornada conseguimos também garantir o aumento do vale refeição. A proposta é que aumente de R$ 155 para R$ 170, mas o valor não será retroativo”, explicou Helenir de Lima.

Você também pode gostar