Cidades

Servidores de Timóteo mantêm a paralisação

TIMÓTEO – Sem uma nova proposta da Administração Municipal, os funcionários públicos de Timóteo continuam nesta quarta-feira (21) em estado de greve. Os trabalhadores permanecem manifestando à frente do prédio da administração, no bairro São José. Eles reivindicam o pagamento de forma integral das perdas salariais no valor de 6,08%. A PMT propõe o pagamento escalonado.
O movimento grevista fez três manifestações na manhã desta quarta-feira. A primeira constou de uma carreata do Paço Municipal ao Timirim, seguida de caminhada pelas ruas principais do bairro. Posteriormente, os servidores se deslocaram o Forno Hoffman e Escola Municipal IMETT, no bairro Novo Horizonte.
Na avaliação do presidente Sindicato dos Servidores Públicos de Timóteo (Sinsep), Israel Passos, a mobilização está positiva, tendo o reconhecimento da comunidade e a adesão dos servidores. Ele enfatizou ainda que como a Prefeitura não está concedendo ganho real, não é necessário apressar a votação do reajuste na Câmara.
“Vamos conversar com os vereadores para que eles não votem projeto de lei com reajuste por pressão da Administração. Queremos que o diálogo seja reaberto”, defendeu.

NORMALIDADE
Em nota, a Prefeitura de Timóteo informou que a greve dos servidores não afetou a rotina da gestão municipal. Mesmo com a paralisação de algumas pessoas, todos os serviços estão funcionando normalmente.
“Nas Unidades de Saúde e no Centro de Saúde João Otávio, nenhum serviço foi suspenso. Estão sendo realizados todos os tipos de atendimento. Mesmo a Administração Municipal tendo atendido às reivindicações da Educação, que são o valor do piso, as horas de planejamento e os encontros pedagógicos, alguns professores aderiram à paralisação, mas nenhum aluno das escolas municipais ficou sem aula até o momento. Os trabalhos da Assistência Social também não foram afetados”, declarou.

 

Você também pode gostar