Cidades

Resultado do LIRAa de Ipatinga cai para 2,9%

Levantamento do índice de infestação do mosquito Aedes aegypti norteia as ações da Secretaria de Saúde de Ipatinga para evitar epidemia de Dengue    (Crédito: Secom/PMI)

IPATINGA – O Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa), primeiro realizado em 2014, apurou que a larva do mosquito transmissor da doença está presente em 2,9% das residências visitadas entre os dias 6 a 8 de janeiro. Em outubro de 2013, o LIRAa de Ipatinga apresentou o índice de 3,2% e mesmo com a redução do índice, divulgado na quarta-feira (15), a Prefeitura de Ipatinga reforça as ações preventivas para evitar uma nova epidemia de dengue no município.

“Apesar da redução do índice, vamos intensificar a campanha. Não podemos descansar, pois o vírus transmitido pelo mosquito Aedes aegypti está cada vez mais forte, o que torna a doença mais agressiva”, alerta o secretário de Saúde de Ipatinga, Eduardo Penna.

VISITAS
A partir desta semana, os agentes de controle de endemias da Secretaria Municipal de Saúde retomam as visitas domiciliares para a realização do tratamento focal (controle químico com aplicação de larvicida) e reforço de ações educativas junto à comunidade.

A operação será iniciada pelos bairros com altos índices de infestação, como Esperança, Limoeiro e Chácara Madalena, onde foi detectada a presença da larva do Aedes aegypti em 4,7% das casas visitadas. A ação também está prevista para acontecer nos bairros Veneza e Caravelas, onde o índice apurado foi de 4,2%, e nos bairros Imbaúbas, Bom Retiro, Bela Vista, Bairro das Águas, Cariru, Castelo, Vila Ipanema, Centro, Novo Cruzeiro, Granjas Vagalume, Vila Celeste e Chácara Oliveiras, onde o índice foi de 3,4%. O preconizado pelo Ministério da Saúde é menor que 1%, para se evitar a epidemia de dengue.

PREVENÇÃO
Durante todo o ano, Ipatinga realiza ações preventivas, que vão desde a limpeza regular de lotes vagos e retiradas de entulhos, até o controle do vetor em lotes e ruas. No entanto, com base no último levantamento, 34,7% dos focos de infestação da dengue foram encontrados dentro de casa em depósitos móveis, como vasos de plantas e recipientes de degelo.

“Toda vez que esquecemos qualquer objeto que possa vir acumular água no quintal, ou a caixa d’ água destampada, tornamos possível surgir um foco da larva do mosquito da dengue dentro de nossa casa”, alerta o secretário de Saúde, Eduardo Penna, esclarecendo que meio milímetro de lâmina d’água limpa já é suficiente para que o mosquito se reproduza. “A Prefeitura de Ipatinga continuará fazendo a sua parte. Mas só teremos êxito se a comunidade aderir ao combate do mosquito, que é diário e começa dentro de casa”, complementa.


Dez minutos contra a dengue

A Prefeitura de Ipatinga intensifica as ações para evitar a epidemia de dengue com a campanha “Não dê tempo para a Dengue”. A população pode contribuir eliminando os focos do mosquito Aedes aegypti com pequenas ações realizadas por apenas 10 minutos por semana. É preciso estar atento a situações como pratinho embaixo do vaso de planta, bebedouros de animais e objetos no quintal acumulando água da chuva. O hábito de vistoriar, semanalmente, alguns pontos em casa é suficiente para afastar o perigo.

Segurança
Os agentes de endemia em campo trabalham uniformizados e sempre utilizam crachá funcional, contendo nome completo, foto, matrícula na PMI e cargo. Durante as visitas domiciliares, todos os profissionais também portam uma bolsa de lona caqui, identificada com brasão da Prefeitura de Ipatinga. A maioria dos profissionais atua de forma regionalizada, ou seja, são os mesmos que cumprem uma rota comum em determinados bairros, tornando-se conhecidos da vizinhança. Em caso de dúvida, o morador deve procurar a Seção de Controle de Zoonoses de Ipatinga, pelo telefone (31) 3829-8383.

Você também pode gostar