Cidades

Região do Alto Boa Vista sofre à espera de realização de obras

As intervenções na rua Jonas foram solicitadas há muito tempo e até hoje, nada   (Crédito: Mariana Goulart)

 

IPATINGA – Os moradores da região do Alto Boa Vista, no bairro Canaãzinho, estão insatisfeitos com a demora na execução de obras pela Prefeitura Municipal. A maioria das intervenções solicitadas são obras para a melhoria do trânsito no local.
Segundo Sérgio Santos Lopes, presidente da Associação de Moradores do Alto Boa Vista (Amabv), o bairro necessita de obras para reduzir o número de acidentes em alguns trechos. “Estamos necessitando de pequenas obras, mas que vão representar muito para o trânsito e para a população local. Acontecem muitos acidentes que poderiam ser evitados”, considerou Sérgio.

OFÍCIOS
A Associação de Moradores já encaminhou alguns ofícios à PMI na tentativa de solucionar os problemas. Mas documentos que foram protocolados em novembro do ano passado ainda não foram respondidos pela Prefeitura. “Pedimos que fossem colocados quebra molas próximo à escola Sônia Gonçalves porque o trânsito é intenso e tem grande fluxo de crianças. A rua Jonas também deveria se tornar mão única, mas até hoje nenhuma dessas reivindicações foram atendidas”, disse o presidente da Amabv.
Um pedido para revitalização da praça do bairro também foi solicitado via ofício. “Desde quando a praça do Alto Boa Vista foi inaugurada, há mais de dez anos, nenhuma obra foi realizada. Queremos também que o trânsito ao redor da praça seja alterado e que seja construída uma rotatória nas proximidades”, explicou Sérgio.

EXPLICAÇÃO

Ainda de acordo com Sérgio Santos Lopes, ele tem se reunindo constantemente com secretários da Prefeitura, mas a resposta ouvida tem sido sempre a mesma. “Conversei com o responsável pelo Departamento de Trânsito da Prefeitura e fui informado que o setor está com o quadro de funcionários reduzido. Mas esse departamento é muito importante e a Prefeitura deveria ter feito uma melhor gestão nesse caso”, considerou.
Sérgio contou que as justificativas da administração municipal seriam as exonerações feitas no final do último ano. “Entendemos que algumas pessoas tiveram que ser desligadas, mas a Prefeitura deveria saber resolver esses problemas. Fomos informados também que estão faltando materiais para execução das obras. Falta massa asfáltica, tubo para colocar placa e tinta para pintar a rua”, enumerou Sérgio.
O presidente da Associação de Moradores considerou triste a atual situação enfrentada pelo bairro. “Uma cidade como Ipatinga, com os recursos que tem, não pode viver essa situação que está vivendo hoje. O que queremos é que as obras sejam realizada, porque a comunidade não pode ficar refém dessa situação política. Nós é que estamos pagando o pato”, concluiu Sérgio Santos.

PREFEITURA

Em nota, a Prefeitura Municipal de Ipatinga informou por meio da Secretaria de Serviços Urbanos e Meio Ambiente (Sesuma), que em reunião com as Associações de Moradores dos Bairros Canaãzinho e Alto Boa Vista um acordo sobre as intervenções no trânsito foi feito para atender às reivindicações dos moradores da localidade. Desde a semana passada, profissionais do Departamento de Transporte e Trânsito (Detra) trabalham nos bairros para a construção de dois redutores de velocidade, mudança de sentido das ruas Jonas e Amós, instalação de placas, pintura de faixas de pedestres e execução da rotatória em torno da praça, além de outras intervenções dentro da viabilidade técnica. As interferências continuarão sendo realizadas nesta semana.

Saúde no bairro também precisa de melhorias
Ipatinga
– Outra insatisfação dos moradores do Alto Boa Vista é sobre a unidade de saúde do bairro Vila Militar, que atende aos moradores do local. A Associação de Moradores do Alto Boa Vista (Amabv) tem recebido reclamações dos moradores, pedindo que o atendimento do posto de saúde melhore. “É preciso melhorar o atendimento no posto do Vila Militar, que atende o nosso bairro. A demanda é muito grande e muitas vezes já faltaram médicos e até mesmo materiais para análise dos exames”, relatou Sérgio Santos.

Ônibus
Os moradores também solicitam uma linha de ônibus que ligue o bairro ao Hospital Municipal e a Policlínica. “Não temos ônibus para levar os moradores até o hospital público. Mas se o posto dá encaminhamento para os pacientes se deslocarem até esses locais, era para ter esse transporte. Hoje quem precisa ir ao hospital tem que descer até o Bethânia ou Vila Militar, mas fica longe, e quem está doente não tem condições de andar longas distâncias”, disse Sérgio.
Segundo ele, a Prefeitura informou que para fornecer um ônibus para realizar o trajeto é necessário realizar um estudo junto à empresa de transporte coletivo. “Eles alegam que a situação está em estudo, mas até quando? Estamos esperando há muito tempo. Só justificar não basta. Tem que ter ação”, concluiu.

Você também pode gostar