Cidades

Prefeitura oficializa pagamento e creches reabrem nesta segunda

Tia Lúcia assina acordo com Prefeitura: “Eu quero acreditar que nosso ano começa hoje”      (Crédito: ACS/PMI)

IPATINGA – A Prefeitura de Ipatinga oficializou nesta sexta-feira (22) o pagamento da dívida com as entidades assistenciais conveniadas na cidade, acumuladas durante o mandato do ex-prefeito Robson Gomes (PPS). Serão quase R$ 9 milhões quitados pela Administração: R$ 7 milhões para as creches do município, R$ 1,5 milhão para entidades de assistência social e R$ 304 mil para instituições com atividades ligadas à saúde.

O pagamento irá possibilitar o retorno das atividades paralisadas, desde o ano passado, das creches municipais já na próxima segunda-feira (25). Na Secretaria Municipal de Educação estão cadastradas 41 entidades que atendem cerca de cinco mil crianças.

A primeira parcela do pagamento foi depositada ainda ontem. Os critérios para quitação do débito foram estabelecidos de acordo com as especificações de cada convênio. As creches municipais, por exemplo, receberão 50% do total do débito nos próximos 30 dias, em duas parcelas, sendo que a primeira foi depositada nesta sexta-feira; os outros 50% serão divididos em 10 parcelas, de março a dezembro deste ano.

ASSISTÊNCIA
As dívidas com as entidades da área de Assistência Social serão pagas em duas parcelas, em fevereiro e março deste ano; e as referentes às entidades de Saúde, que representam o menor montante do débito total acumulado, foram quitadas em parcela única, também depositadas nesta sexta-feira. Além dos débitos referentes à repasses não feitos pelo Governo anterior, a Prefeitura se comprometeu a pagar também os encargos trabalhistas atrasados dos funcionários, não contemplados pelos contratos.

CASA DA ESPERANÇA
Uma das beneficiadas foi a Casa da Esperança, que estava há cerca de oito meses sem receber verbas do Governo. A entidade, que atende portadores de necessidades especiais e crianças em situação de risco, chegou a paralisar alguns dos serviços por falta de dinheiro. Maria Lúcia Valadão, a Tia Lúcia, diretora da entidade, contou que os repasses acumulados estão na faixa de R$ 400 mil e que o anúncio do pagamento por parte do Governo significa muito para ela. “Eu quero acreditar que nosso ano começa hoje”, disse.

Em julho do ano passado, Tia Lúcia precisou encerrar as atividades do Projeto Desafio e da Escola Inclusiva por falta de recursos. Segundo ela, foi preciso vender um carro da instituição e pegar empréstimos para sustentar a Casa da Esperança. “Nós estávamos no limite”, relembrou.

SE TOQUE
Outra entidade que poderá trabalhar com mais tranquilidade a partir de agora é o Grupo de Apoio e Prevenção do Câncer Se Toque. Conveniada com a prefeitura, a entidade tem o trabalho de acolher pacientes da doença que estão em tratamento na cidade. Segundo o tesoureiro da entidade, Amauri Leal de Oliveira, durante todo o ano passado, o Se Toque trabalhou sem a ajuda do Governo e o acumulado dos repasses devidos chegou a R$ 12 mil.
Amauri afirmou que agora se preocupa em firmar o novo convênio com a Prefeitura para este ano. Segundo a Prefeitura Municipal, assim que for feita a prestação de contas das entidades com o Executivo, os novos contratos serão restabelecidos.

RESPONSABILIDADE
A prefeita Cecília Ferramenta (PT) participou da solenidade e assinou os documentos referentes ao acordo com as entidades. “Tenho muita alegria de participar dessa solenidade que consagra o acordo que a Prefeitura fez com as creches e entidades conveniadas. Em nosso governo, todo acordo é para ser cumprido e não é feito de brincadeira”, disse durante a entrevista com a imprensa.

A chefe do Executivo também anunciou a abertura de mais 23 turmas de Educação Infantil para receber crianças entre quatro e cinco anos em 14 escolas da rede pública municipal. De acordo com a prefeita, já existem recursos para construir duas novas creches na cidade e a Prefeitura se credenciou para receber mais seis unidades, em parceria com o Governo Federal.

No entanto, para poder restabelecer as atividades, as entidades, especialmente as creches, deverão se adequar a uma realidade de economia. O novo acordo proposto pela Prefeitura prevê cortes de gastos, o que inclui, entre outras coisas, redução no quadro de funcionários. Na semana passada, representantes das instituições se reuniram com membros do Governo, onde foram informados das modificações. A Secretaria de Educação, no entanto, afirma que não haverá prejuízos para o aprendizado, uma vez que mesmo com cortes o atendimento será feito através de especialistas da própria pasta.

Você também pode gostar