Cidades

Pendências de creches se devem a convênio falho no ano passado

“Estamos aqui para deixar bem claro para a população de Ipatinga que temos pendências sim, mas devido às multas e encargos trabalhistas que não conseguimos pagar porque a PMI não nos repassou os recursos”.
Viviane Araújo, presidente do Sindicato dos Empregados de Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas (Sintibref )
(Crédito da foto: Mariana Goulart)

 

IPATINGA – O Sindicato dos Empregados de Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas (Sintibref) se reuniu com a comissão dos funcionários das entidades conveniadas à Prefeitura Municipal de Ipatinga na manhã de ontem (27). O encontro foi realizado para reforçar o motivo pelo qual a classe está em greve. “As creches estão em greve pela falta de pagamento e não pela questão de assinatura dos convênios”, reforçou a presidente do sindicato, Viviane Araújo.
A reunião também serviu para esclarecer quais as pendências que as entidades possuem junto à Prefeitura. De acordo com informações da comissão de funcionários, a administração municipal tem dificultado a resolução dos problemas vividos pelas entidades. “Enquanto o poder público precisou dessas entidades para alcançar a educação infantil, as creches eram parceiras. E agora que as creches estão precisando do apoio da Prefeitura, elas não são mais parceiras. Não estamos aqui para apurar de quem é a culpa nessa altura do campeonato. Estamos em busca de soluções. Não temos fins lucrativos e as entidades não têm como se manter”, explicou Viviane Araújo.
A presidente do Sintibref afirmou ainda que a preocupação maior dos funcionários das entidades é com as crianças que estão sem frequentar as aulas. “O lucro que tem uma entidade é o lucro social, tirar essas crianças do caminho ruim. Durante a atividade pedagógica, as professoras também ensinam valores, não ensinam somente ler e escrever. Por isso essas crianças não podem ficar nas ruas. Até porque é de obrigação e responsabilidade do poder público garantir o direito à educação infantil para essas crianças”, disse a presidente.
Valéria Lemos Lopes trabalha como professora no Centro Educacional Lar da Criança, no bairro Ideal. Ela contou que é a primeira vez que a entidade passa por essa situação. “Já aconteceram atrasos nos pagamentos, mas essa situação que estamos vivenciando hoje em Ipatinga nunca aconteceu antes. Está tendo muito transtorno na cidade porque o prefeito não resolve a situação. Estamos querendo mostrar para o poder público que também somos gente e não podemos ficar abandonados. Não estamos pedindo nenhum favor, estamos pedindo o que é nosso de direito. E está muito difícil conviver com essa situação, não está sendo nada fácil pra gente”, declarou Valéria com emoção.

DEFICIÊNCIA
O Sindicato dos Empregados de Instituições Beneficentes, Religiosas e Filantrópicas (Sintibref) assumiu que algumas entidades possuem pendências junto a Prefeitura Municipal de Ipatinga. “As creches estão passando por uma deficiência porque o convênio do ano passado foi assinado corretamente, mas houve atraso em todos os pagamentos e isso gerou essa deficiência financeira. Algumas creches não têm certidão negativa e têm pendências sim, mas é porque o convênio de 2011 foi muito falho”, considerou Viviane Araújo.
Ainda de acordo com ela, os atrasos nos repasses geraram multas trabalhistas, o que dificultou ainda mais a situação das entidades.
De acordo com o sindicato, a greve irá continuar até que a Prefeitura assine convênio com todas as entidades e repasse os valores atrasados.

Creches regulares também não assinaram convênio
Ipatinga
– Ao contrário do que tem sido alegado pela Prefeitura Municipal de Ipatinga, não são somente as entidades que estão com alguma irregularidade que estão sem assinar o convênio de 2012. A reportagem do DIÁRIO POPULAR apurou que existem creches que entregaram todos os documentos necessários e não possuem problemas na prestação de contas e que ainda estão sem firmar o convênio deste ano.
É o caso da creche Pequeno Cidadão, no bairro Canaã. “Nós não temos pendência nenhuma e ainda assim não fomos chamados para assinar o convênio. Sabemos de algumas creches que já assinaram. Devolvo a pergunta ao secretário de educação: por que a nossa creche não recebeu nenhuma parcela deste convênio de 2012?”, questionou Rosilene Balbina Lima, coordenadora administrativa da entidade.
A presidente do Sintibref também interrogou a Prefeitura. “Eles disseram que havia 17 creches com pendências e as outras não tinham. Então por que eles não pagaram essas entidades que estão regulares? Porque existe um descaso muito grande da Prefeitura com a classe”, considerou Viviane Araújo.

Mais sete
Segundo nota da Administração Municipal, o prefeito de Ipatinga, Robson Gomes (PPS), autorizou nesta terça-feira (27) a assinatura de convênio com outras sete creches. Estas entidades entregaram toda documentação necessária e tiveram a prestação de contas aprovada pelas diversas secretarias da Administração Municipal. Outras 33 creches ainda possuem pendências e a Secretaria Municipal de Educação faz um apelo para que os presidentes apresentem os documentos o mais rápido possível.
As creches que já assinaram o convênio e vão receber o repasse nesta quarta-feira (28) são a Associação Peniel, Centro Educacional Antônio Rosa, Mãe Querida, Educação e Vida, Sagrado Coração de Jesus, Pequeno Cidadão e Núcleo Assistencial Limoeiro.


“Por que a nossa creche não recebeu recursos de 2012?”, questionou Rosilene, que está com a documentação em dia

Você também pode gostar