Policia

PC instaura inquérito para apurar desaparecimento de quatro jovens

Pai de um dos desaparecidos não tem esperança de encontrar o filho vivo: “Pelo jeito que a gente ouve falar, as polícias pegam, levam e consomem”

 

SANTANA DO PARAÍSO – Quatro jovens com idades entre 13 e 19 anos estão desaparecidos desde o dia 29 de fevereiro. Os quatro rapazes – conhecidos como Wesley, Luciano, Vitinho e Jonathan – teriam sido vistos pela última vez em uma casa no bairro Cidade Nova, fazendo uso de drogas.
Uma testemunha ouvida pela reportagem, que pediu para não se identificar com medo de retaliação, contou que estava na casa com os garotos no dia do sumiço, quando um homem teria parado na porta e se identificado policial civil. “Ele mostrou a arma, disse que era policial civil e me pediu para que eu levantasse a blusa e depois me liberou”, disse.
Ainda segundo a testemunha, minutos depois, um carro preto, supostamente da Polícia Civil, teria parado na porta. Dois homens desceram. Eles entraram na casa, amarraram e levaram os jovens. “Vi quando eles colocaram os rapazes no porta-malas, mas não vi para onde foram”, relata.

ESPERANÇA
Segundo a Polícia Civil, os quatro jovens têm passagens por furtos e seriam usuários de drogas. Mas, para a família de todos eles, os delitos cometidos não justificam os desaparecimentos. Raimundo Luiz de Andrade, 39 anos, é pai de um dos desaparecidos, um adolescente de 13 anos. Ele conta que o filho começou a se envolver com drogas quando tinha apenas 10 anos de idade e que as más companhias ajudaram a influenciar o filho no caminho das drogas. Desesperado com o sumiço do menino, o pai quase já não tem esperança em encontrá-lo vivo. “Pelo jeito que a gente ouve falar, que as polícias pegam, levam e consomem, então não tenho muita esperança não. Mas, que ele seja encontrado, vivo ou morto”, disse.
Sueli Maria de Jesus é irmã de Luciano, 18 anos, morador do bairro Planalto (outro desaparecido). Ela confirmou que o irmão tinha envolvimento com drogas, mas disse que ele nunca chegou a comentar com a família. “Eu ainda espero encontrá-lo com vida”, afirma.

INVESTIGAÇÕES
As investigações sobre o desaparecimento já começaram. De acordo com Delegado Regional de Ipatinga, João Xingó, um inquérito policial foi instaurado para apurar o caso. As investigações estão sob a responsabilidade da Delegacia de Santana do Paraíso.
Sobre o suposto envolvimento de uma viatura policial civil no caso, Xingó diz que tudo vai ser averiguado. Se for confirmado, ainda será preciso saber a qual região o veículo pertence. “Nossas viaturas possuem placa e identificação. Se alguma pessoa viu esses jovens serem colocados nessas viaturas, que ela nos auxilie informando a placa do carro, e detalhes até mesmo dos policiais, para lograrmos êxito na localização deles”, diz o policial.
(Gizelle Ferreira)


Luciano está entre os quatro jovens desaparecidos

 

Com suspeita de envolvimento de policiais, Chacina do Revés ainda não teve desfecho
(Da Redação) – O último caso de desaparecimento de jovens com suspeita de envolvimento de policiais foi a morte de quatro adolescentes, caso que ficou conhecido como “Chacina do Revés do Belém”, ocorrido em outubro do ano passado.
Os cadáveres foram encontrados no dia 30. Eles estavam nus e apresentavam perfurações de arma de fogo na nuca, o que indica execução. Os amigos John Enison da Silva, de 15 anos, Nilson Nascimento Campos, de 17 anos, Felipe Andrade, de 15 anos, e Eduardo Dias Gomes, de 16 anos, eram moradores do bairro Caravelas.
Os garotos foram vistos por familiares na manhã do dia 24 de outubro. Neste dia, eles teriam sido abordados por policiais militares em atitude suspeita. Os quatro adolescentes ainda são acusados de apedrejarem uma viatura da Polícia Civil. Após o fato, os menores não foram mais vistos.

 

 

Você também pode gostar