Policia

PC desvenda homicídio de mulher jogada no ribeirão

Irene Franco  apresentou na tarde de ontem Luciano Rodrigues , apontado como um dos responsáveis pela morte de Simone Silva  (Foto: Nadieli Sathler)

 

IPATINGA – Com a prisão de Alyson Vinicius e Luciano Rodrigues, a delegada de homicídios Irene Franco deu por encerradas as investigações sobre a morte de Simone Silva.
A jovem foi torturada até a morte pelos dois jovens e um menor de 16 anos, que também foi identificado pela polícia judiciária. O crime ocorreu no dia 1° deste mês. Após violentar a vítima por várias horas, um dos três autores estrangulou a mulher, cujo corpo foi jogado no ribeirão Ipanema.
A delegada revelou que desde a semana passada o crime havia sido elucidado. Mas somente quarta-feira a Justiça expediu o mandado de prisão preventiva contra Luciano. Já Alyson foi preso no dia 8 deste mês, por tráfico de drogas.
“Foram duas semanas de trabalhos de investigação da Delegacia de Homicídios. Entrevistamos muitas pessoas. Começamos no submundo dos moradores de rua da região Central”, comentou.
As diligências feitas revelaram que Luciano era responsável pelo tráfico de drogas na área conhecida como Morro de Cemitério e adjacências. E o papel de Alyson, conforme a PC, era chefiar as vendas e pontos de distribuição.
“No dia em que a Simone morreu, os dois jovens haviam deixado com ela uma porção de crack para ser escondida. Ela guardou a droga próximo ao Pontilhão. Acreditamos que ela fazia esses favores a eles em troca de pedras de crack, por isso nem podemos qualificá-la como traficante. Como usuária, ela foi vítima”, falou.

TORTURA
Irene destacou que antes de morrer, Simone passou por várias horas de tortura. Os três autores bateram nela, inclusive com toalhas. As agressões começaram em uma construção próxima ao Pontilhão.
“Eles a torturam para que ela contasse aonde tinha escondido uma porção de droga. Mas ela desviou alguma e colocou pedras do ribeirão no lugar do crack. Certamente ela usou e ficou com medo de confirmar. Como ela não tinha como entregar a droga toda, eles levaram-na para a região do Bambuzal”, contou.
Como desejavam saber onde estava a droga escondida pela vítima, os três levaram Simone para perto do rio e continuaram com os ataques até que um deles agarrou o pescoço da vítima e apertou até ela desfalecer.

INTERNAÇÃO

No mesmo dia em que foi feito o pedido de prisão preventiva de Luciano, a delegada de homicídios encaminhou à Promotoria da Infância um pedido de internação provisório para o menor de 16 anos envolvido no crime.
“Apuramos que a maior parte das agressões foi cometida pelo menor. Ele não assumiu isso, mas as pessoas ouvidas afirmaram para gente. Esperamos que a promotoria defira o nosso pedido ainda nessa semana”, informou.

INOCÊNCIA

Ao ser questionado sobre a motivação do homicídio de Simone, Luciano negou envolvimento. Ele disse que na noite em que a mulher foi morta ele estava em uma boate com os amigos, os mesmos indicados como autores.

Você também pode gostar