Policia

Novo delegado assume em Coronel Fabriciano

“Nós vamos ter que lavar roupa suja aqui”, disse o novo chefe da delegacia de Fabriciano   (Crédito: Gizelle Ferreira)

 

FABRICIANO – Paulo César Assumpção Dettogne assumiu oficialmente na manhã de ontem (29) a titularidade da 8ª Delegacia de Coronel Fabriciano, no bairro Santa Helena. Ele foi apresentado aos policiais civis e à imprensa pelo delegado regional Alexsander Esteves.
Paulo César foi convidado pelo próprio regional. Durante a apresentação de ontem, Dettogne mostrou-se muito entusiasmado com o novo posto e disse que a principal meta a cumprir é reduzir o alto índice de criminalidade na cidade, que somente este ano já contabilizou 17 assassinatos. “Os índices estão muito além do considerado tolerável, apesar de que um homicídio já não é tolerável. Mas, sendo realista, aqui em Fabriciano os homicídios estão demais. Precisamos ver qual é a capacidade de resposta que a polícia daqui tem”, disse.

MUDANÇA

A ida de Paulo César para a PC de Fabriciano é a primeira mudança depois que Alexsander Esteves assumiu a Regional da Polícia Civil de Ipatinga. Além de tentar reduzir o alto índice de criminalidade no município, indiretamente Dettogne tem a missão de reconstruir a imagem da Polícia Civil, maculada por denúncias de corrupção feitas pelo ex-delegado Francisco Pereira Lemos, também vereador e presidente da Câmara Municipal de Coronel Fabriciano.
Lemos acusou o ex-delegado regional João Xingó de comandar um esquema de corrupção dentro da PC de Fabriciano. O vereador chegou a chamar Xingó de bandido, por autorizar os policiais a receberem dinheiro de traficantes em troca de liberdade. Xingó pediu afastamento do cargo. A Corregedoria de Polícia ainda investiga as denúncias.

DESAFIO
Dettogne considera um desafio assumir um posto de titularidade em meio a investigações dentro da PC e espera que os anos de experiência o ajudem a tomar as melhores decisões. “Nós precisamos ver realmente o que é que está acontecendo. O que eu tenho certeza é que hoje nós temos um delegado regional digno. Este primeiro passo é fundamental para que voltemos a ter a credibilidade que a sociedade quer de nós. Não adianta chegar aqui, fechar a porta e fingir que está tudo certo. Nós vamos ter que lavar roupa suja aqui”, pontua.

FEITOS
Dettogne veio para região em 1999, quando permaneceu no cargo de delegado regional da Polícia Civil de Ipatinga por quatro anos. Durante todo este tempo, o policial participou da extinção da antiga “cadeinha”, que ficava ao lado da delegacia, no Centro.
Outro trabalho notável, realizado enquanto Dettogne estava à frente da regional, foi a elucidação de um crime que ficou conhecido como “Chacina do Morro Zé Pedrinho”, em 2005, no bairro Bom Jardim. Na época, duas mulheres foram assassinadas e uma criança recém-nascida foi abandonada próxima à mãe. O assassino foi condenado pelo crime e cumpre pena na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho, em Ipaba.

CARREIRA
Dettogne é delegado há 26 anos. Em 1984, formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Itaúna. Seu primeiro cargo como delegado foi em 1986, em Dom Silvério. Depois, em 1987, trabalhou em João Pinheiro, onde permaneceu até o ano de 1988, quando foi delegado em João Monlevade, exercendo o cargo por seis anos. Nos anos de 1995 e 1996, Paulo César foi trabalhar na Corregedoria da Polícia Civil em Belo Horizonte como sub-corregedor. Em 1997, assumiu a Delegacia Regional de Manhuaçu.
Depois disso, durante dois anos, (2004-2005), ele foi coordenador da Seplag (Secretaria de Planejamento e Gestão) em Coronel Fabriciano. Em meados de 2006 comandou a regional de Itabira, e em 2007, assumiu o cargo maior da Polícia Civil de Caratinga, quando logo foi transferido para Governador Valadares para ser o Chefe de Departamento da Polícia Civil. Em 2009, o policial novamente voltou para Corregedoria da PC e por lá ficou até o final de 2010, quando retornou ao Vale do Aço, mas teve que se afastar por problemas de saúde.

Dettogne quer transferência de titular da Delegacia de Timóteo
Fabriciano
– O quadro de delegados em Coronel Fabriciano é composto por três nomes. Ontem, durante a apresentação, Paulo César Assumpção Dettogne anunciou que irá aumentar o número de delegados. O nome mais cotado para completar o quadro é a delegada Adeliana Xavier, que assumiria a Delegacia de Mulheres. Ela atualmente está lotada na Delegacia de Timóteo.
Apesar de querer a mudança, o delegado ponderou que ainda precisa de autorização, mas considera que a melhor opção hoje para ocupar o cargo é a delegada Adeliana. “Eu ainda vou postular esse pedido. Ela é um excelente profissional e acrescentaria e muito aqui. Ela é muito cogitada e então esperamos que ela venha trabalhar com a gente”, disse Dettogne.
O delegado regional Alexsander Esteves disse que o pedido ainda será analisado. Segundo ele, existe a necessidade de uma delegada no quadro, para assumir a Delegacia de Mulheres em Fabriciano. No entanto, o policial ponderou a situação, já que Adeliana está em Timóteo. “A gente sabe das necessidades de Fabriciano, mas não podemos deixar desacobertada uma delegacia (Timóteo), que vem funcionando bem, para suprir outra”, considerou.


O titular de Fabriciano defende a transferência de Adeliana Xavier (foto) para a Delegacia de Mulheres da cidade

Você também pode gostar