Policia

Leptospirose pode ser causa de mortes no Ceresp

A Secretaria de Estado de Saúde divulgou ontem nota oficial a respeito do surto de uma doença que já causou as mortes de duas detentas do Ceresp e deixou outros preos em estado grave. A íntegra da nota é a seguinte:

“Acerca da situação de surto de doença aguda de causa indeterminada identificado no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (CERESP) de Ipatinga, no Vale do Aço, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) informa:
“A principal suspeita clínica no momento é de um quadro de febre hemorrágica, que pode ser causada por muitos vírus. Por isso, estão sendo feitos exames para febre amarela, dengue e hantavirose. Essas suspeitas se devem ao fato de agentes municipais de Saúde terem encontrado próximo à caixa d`água, na entrada do presídio o corpo de um gato. Por isso as suspeitas principais são de doenças transmitidas pelos ratos, como a Leptospirose e Hantavirose.

EXAMES
“A realização de exames pela Fundação Ezequiel Dias, que no dia 12/05, está com uma equipe de plantão, exclusivamente para realização de exames das pacientes, revelou que os exames para hepatites viriais A e B deram resulatdos negativos. Já, os exames de cultura do sangue (hemocultura) encontram-se em andamento. O resultado pode demorar até 07 dias. Fragmento de fígado da segunda paciente que evoluiu para o óbito foi retirado e este está sendo examinado pelo Serviço de Patologia da Faculdade de Medicina da UFMG, que realizará exames específicos para identificação de agentes infecciosos.
“Foram coletados alimentos e água que são servidos às detentas. A SES informa, ainda, que serão realizados exames com o objetivo de identificar quais são os agentes contaminantes. Agentes da Vigilância Sanitária também farão inspeção para avaliação do restaurante que fornece alimentos para o CERESP.
“Anteontem, foram internadas 15 pessoas no Hospital Municipal; 08 receberam alta, 04 pacientes assintomáticas permanecem internadas em observação, duas são sintomáticas e outras duas foram a óbito. O primeiro óbito ocorreu no dia 08/05, com quadro de febre, vômito, prostração e pressão baixa, evoluindo para óbito em 24 horas. O segundo óbito ocorreu no dia 11/05, com quadro semelhante, iniciado no dia 09/05. Os dois óbitos foram de detentas do Ceresp de Ipatinga, que conviviam na mesma cela”.

Principais medidas:

• Sensibilização dos profissionais do presídio para detecção de identificação rápida de sinais e sintomas;
• Encaminhamento das pacientes para o Hospital Municipal.
• Tratamento para doenças bacterianas (já iniciado).
• Desratização na Unidade Prisional CERESP;
• Higienização do ambiente com hipoclorito de sódio e incineração das roupas.
• Suspensão da quarentena no presídio masculino e manutenção da quarentena no presídio feminino.
• As visitas continuam suspensas.

Você também pode gostar