Nacionais

‘Lava Jato por si só não salvará o Brasil’, diz Janot

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que a Operação Lava Jato não “salvará o Brasil” da corrupção sem participação popular      (Créditos: Valter Campanato/Agência Brasil)

BRASÍLIA – O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse nesta segunda (27) que a Operação Lava Jato não “salvará o Brasil” da corrupção sem participação popular. Janot participou da abertura de um seminário sobre grandes casos de corrupção julgados no país e na Itália.

No discurso de abertura, o procurador disse que a Lava Jato é a “maior e mais profunda” investigação de combate à corrupção da história do país. No entanto, segundo o procurador, o fim dos desvios de dinheiro público não depende somente dos procuradores e dos juízes.

“Não chegaremos ao fim dessa jornada pelos caminhos do Ministério Público ou do Judiciário. Esses são peças coadjuvantes no processo de transformação e de aprofundamento dos valores republicanos. A Lava Jato, por si só, não salvará o Brasil, nem promoverá a evolução do nosso processo civilizatório”, disse Janot.

No discurso, o procurador-geral também disse que existe atualmente no Brasil um ambiente favorável ao fim da impunidade e que retrocessos não serão tolerados pelo Ministério Público.
“Hoje, algumas vozes reverberam o passado e ensaiam a troca do combate à corrupção por uma pseudoestabilidade, a exclusiva estabilidade destinada a poucos. Não nos sujeitaremos à condescendência criminosa: não é isso que o Brasil quer, não é disso que o país precisa”, disse.

Você também pode gostar