Policia

Homem é morto a facadas no bairro Vila Celeste

Familiares dizem não entender o motivo do assassinato entre amigos; vítima (detalhe) foi encontrada caída quase em frente à casa dos pais

 

IPATINGA – Dois homicídios foram registrados no último fim de semana. O primeiro aconteceu por volta 20h20, na rua Pintassilgo, no bairro Vila Celeste. De acordo com a ocorrência da Polícia Militar, o ajudante Reinaldo Batista da Silva, 22 anos, foi encontrado caído, com duas perfurações no rosto, quase em frente à casa dos pais.
O principal acusado de matar o ajudante é conhecido como Sérgio Cândido da Silva, 20 anos. Os dois eram vizinhos. Segundo relato da PM, eles estavam fazendo uso de bebida alcoólica. Por motivos ainda não esclarecidos, os dois tiveram um desentendimento e iniciaram uma briga, quando o autor desferiu golpes de faca contra a vítima.
Após o crime, o autor fugiu com outro indivíduo em uma motocicleta. O perito Isaque da Polícia Civil recolheu no local uma faca com 15 cm de lâmina. A vítima deixou mulher e uma menina de 1,5 ano.

INFÂNCIA
Além de serem vizinhos, autor e vítima eram também amigos de infância. Segundo conta a viúva de Reinaldo, uma adolescente de 17 anos que estava na casa dos pais do marido, Reinaldo havia lhe avisado que iria para a rua e disse que não iria demorar.
Ainda de acordo com a garota, ela ficou na porta da casa dos pais de Reinaldo, quando viu o autor retirar uma faca e desferir o golpe contra o marido. “Eu gritei o nome do Reinaldo e aí ele começou esfaquear meu marido. Eu tentei tirar o “Serginho” de cima dele e comecei a gritar por socorro, foi quando o pai do que matou tirou ele de cima do Reinaldo”, relata.
Em conversa com os familiares, ninguém soube dizer ao certo o motivo do assassinato, mas a viúva acredita que Reinaldo foi morto por causa de drogas. “Acho que eles estavam drogados. Porque eles eram amigos de infância. Se o Reinaldo tiver alguma coisa com droga, é porque os meninos devem ter pedido a ele para pegar com alguém que vende para depois pagar. Ele seria um intermediário”, disse.

JUSTIÇA
Ainda sem entender como o filho foi assassinado e os motivos que levaram ao crime, a mãe de Reinaldo, Maria das Graças Batista, 64 anos, está assustada com o ocorrido. Ela afirma que jamais poderia imaginar que um vizinho e colega de infância do filho pudesse ter tido a coragem de cometer tal ato. “Mataram meu filho na maior covardia. Eu quero justiça, porque meu Reinaldo está debaixo da terra e o outro foragido”, lamenta, reforçando que não entende o porquê do crime. “Ele foi criado junto com o Reinaldo. Não sei como isso pode ter ocorrido. Eles eram muito amigos”, disse a mãe.

Você também pode gostar