Cultura

Hibridus inaugura acervo

Primeira fase foi voltada para a memória do teatro e da dança de Ipatinga, enquanto o Mapeamento é dedicado a publicações de grupos regionais (Crédito: Nilmar Lage)

 

IPATINGA – O grupo Hibridus inaugura na noite de hoje (19) o catálogo Encontro com a Memória, organizado por Leila Cunha. O evento vai ser no –Qcult, espaço da companhia e faz parte das comemorações dos 10 anos do grupo.
Os livros, CDs, DVDs com foco em arte contemporânea estarão disponíveis à comunidade de segunda a sexta, das 13h às 18h. O Hibridus conta com o patrocínio da Usiminas através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura.
A produtora cultural e historiadora, Leila Cunha, realizou um mapeamento dos grupos de dança e teatro de Ipatinga. A obra vem dar sequência ao projeto Memória e documentação da dança e do Teatro em Ipatinga, realizado em 2010 e que resgatou a história da arte representativa do município entre as décadas de 60 e 90.
Em sua primeira etapa, o projeto resultou em um catálogo e um DVD que trazem entrevistas de várias pessoas que fizeram e ainda constroem a história do teatro, como Darci di Mônaco, Eliane Santos, e da dança, como Zélia Olguin, que em 1964 trouxe o balé clássico para o Vale do Aço.
“Ao mesmo tempo, a concepção viva da história levou-nos a mapear também os artistas contemporâneos, que continuam a produzir na cidade e podem ser vistos em espetáculos, sempre se destacando por suas atuações, ministrando oficinas, promovendo a arte. Nesta segunda fase, a iniciativa tem como propósito dar visibilidade aos 18 grupos que estão em cena, muitos tão perto da gente sem que a gente saiba, além dos 18 espaços culturais que temos na cidade”, explica a produtora cultural.
Encontro com a Memória é resultado de um trabalho de pesquisa que foi executado por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Além de catalogar os grupos, o projeto também contemplou a organização do acervo fotográfico, textual e gráfico da Escola Municipal de Artes Cênicas Antônio Roberto Guarnieri, que foi todo digitalizado e está disponível na sede do educandário.

CHÁ DA MEMÓRIA
A primeira fase do projeto consistiu em um estudo histórico sobre o teatro ipatinguense, a partir da coleta de entrevistas com artistas da cidade, inclusive durante o Chá da Memória, “evento que reuniu atores em um delicioso bate papo sobre a sua trajetória, revelando fatos sobre o início de suas carreiras e as dificuldades pelas quais passaram até serem quem são”, enfatiza Leila.

Você também pode gostar