Cidades

Governo Mendes suspende recolhimento de entulho

Final de mandato de Sérgio Mendes, que não se reelegeu, é marcado pelo corte de vários serviços públicos


TIMÓTEO
– A partir de dezembro, a coleta de entulhos feita pela Prefeitura Municipal será suspensa. Isso significa que o recolhimento de lixos de grande porte não será mais feito pela atual Administração.
A informação é da Secretaria Municipal de Obras, Serviços Públicos e Habitação da própria Prefeitura, que ressaltou que a decisão foi tomada devido à grave crise financeira pela qual Timóteo vem passando nos últimos meses e que vem levando o município a adotar medidas de contenção de despesas.

A Secretaria também pediu “a compreensão dos moradores em relação a esse momento de dificuldades” e fez um apelo para que eles não coloquem entulho nas ruas da cidade.
Essa não é a primeira vez que o atual governo faz intervenções nos serviços de limpeza pública a fim de reduzir gastos.
Desde o início do mês, uma série de demissões de trabalhadores do setor vem ocorrendo na cidade. A Consita, empresa terceirizada com sede em Belo Horizonte e responsável pelo trabalho em Timóteo, estima que até o momento cerca de 80 funcionários já tenham sido despedidos e 110 funcionários estejam trabalhando.

Além destes, funcionários da educação e saúde também foram demitidos. O Sindicato dos Servidores de Timóteo (Sinsep) avalia que, nos dois setores, a redução no quadro de funcionários tenha atingido 700 trabalhadores contratados por meio da Fundação Geraldo Perlinegeiro de Abreu, que além das escolas, atuava também na gestão dos Postos de Saúde e Pronto Socorro Municipal.

O Sindicato afirma que nem mesmo o acerto com os trabalhadores foi realizado. Nesta quarta-feira (28), vence o prazo para que os valores referentes aos direitos trabalhistas sejam quitados. Se o pagamento não ocorrer, o presidente do Sindicato, Israel dos Passos, disse que pretende acionar o Ministério Público.

LIXO
Segundo a Prefeitura, a paralisação dos serviços de coleta de entulhos não irá gerar demissões e nem afetará, a princípio, o recolhimento do lixo na cidade, serviço que também é feito pela Consita.
Porém, a situação entre o Governo do prefeito Sérgio Mendes (PSB) e a empresa não é das melhores, já que, segundo membros da diretoria da própria companhia, a atual Administração está inadimplente desde o mês de fevereiro deste ano.

No entanto, o valor devido pela Prefeitura não foi informado. A Consita afirmou que não conseguirá suportar a situação por muito tempo e já trabalha com a possibilidade de deixar de prestar o serviço na cidade.
Os rumores de que o lixo não será mais recolhido no município já chegaram até mesmo à Associação dos Catadores de Timóteo (Ascati), entidade que vem sofrendo com os reflexos da crise da cidade e já chegou a ter seus serviços de coleta seletiva paralisados devido à redução nos quadros de funcionários da Consita.

Atualmente, a Associação trabalha normalmente e conta com a Prefeitura Municipal, através da Consita, para ajudar na coleta de materiais recicláveis nos bairros de Timóteo. O único problema relatado pelo coordenador geral da Ascati, Leandro Barbosa da Silva, é o tamanho do caminhão fornecido pela Prefeitura, que seria pequeno para atender à demanda da entidade.

TRANSPORTE

Nesta segunda-feira (26), caminhões e máquinas que trabalham para o município pararam as atividades por falta de pagamento. Os trabalhadores, que alegam estar com dois meses de salários atrasados, fazem parte de uma cooperativa que fornece os serviços de transporte para o Governo.

A Secretaria de Obras do município informou que reduziu em cerca de 50% o contrato de prestação de serviços de transporte feito por caminhões, diminuindo a frota de 14 para seis veículos. A intenção do Governo é utilizar os que foram mantidos para atender às intervenções decorrentes do período chuvoso.


Sede do Executivo de Timóteo: grave crise financeira prejudica limpeza e obras públicas

Você também pode gostar