Cidades

Governo anuncia obra que põe cidade no Minha Casa, Minha Vida

Da esquerda para direita: Bruno Torres, Elói Oliveira, Chico Simões e Rosângela Mendes, após assinatura de documento autorizativo                 (Crédito: André Almeida)

FABRICIANO – A Prefeitura Municipal assinou nesta sexta-feira (21) a autorização para início das obras de ligação entre os bairros Caladinho e Silvio Pereira II, tendo como via de acesso a avenida Tancredo Neves.
Os trabalhos começarão na próxima semana e a empresa responsável pelo empreendimento garantiu que antes do Natal máquinas já estarão no canteiro para o início das obras.

A Administração Municipal prevê diversas melhorias para o trânsito da cidade, como a redução dos congestionamentos e acidentes na avenida Magalhães Pinto, bem como no trevo que dá acesso à via. Os ciclistas também deverão ser beneficiados, uma vez que a Prefeitura afirma que as obras contemplarão a construção de uma ciclovia no local.

Vantagens para a segurança pública também são esperadas, já que haverá uma facilitação do deslocamento de viaturas, e de acordo com o projeto, até mesmo o meio ambiente será beneficiado, devido à redução do consumo de combustível e emissão de gás carbônico.
Segundo levantamento elaborado pela Prefeitura, hoje, o trajeto entre os dois bairros chega a oito quilômetros e, após o fim da obra da nova avenida, o mesmo percurso poderá ser feito em apenas 1,73 quilômetro.

Há dois anos a Administração de Fabriciano vem planejando esta obra, cujo projeto foi elaborado pelo arquiteto e urbanista Roberto Caldeira. O terreno onde serão feitas as obras foi conseguido por meio de um acordo entre o Executivo e um morador de Fabriciano, que devia tributos e usou a propriedade como forma de pagamento. Ao todo, a área a ser construída tem 1.673.33 metros e o investimento previsto é de R$ 5 milhões de reais.

De acordo com o prefeito da cidade, Chico Simões (PT), todo o projeto da obra obedece às leis ambientais vigentes e está de acordo com o Plano Diretor, que foi aprovado esta semana pelo Legislativo. Chico também destacou que o documento teve o aval unânime do Conselho Municipal de Meio Ambiente (Codema), responsável pela fiscalização de grandes empreendimentos na cidade.

MINHA CASA, MINHA VIDA
A obra trará para Fabriciano a possibilidade de participar do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Atualmente, a cidade não possui áreas apropriadas para a construção de residências por meio do projeto e a nova avenida será fundamental, uma vez que a Caixa Econômica Federal exige, para aprovação de áreas para o Minha Casa, que os acessos sejam pavimentados.

O empreendimento contemplará a construção de dois loteamentos: um com espaço para 400 moradias destinadas a pessoas com renda mensal de até três salários mínimos e outras 600 unidades para quem ganha acima de três salários.

A construção da via e também do loteamento será feita pela construtora Aprove, com sede em Belo Horizonte. O incorporador Elói Oliveira esteve ontem na sede da Prefeitura para receber a autorização de início das obras. Ele informou que a intenção é criar um núcleo que seja benéfico à cidade, promovendo o desafogamento do trânsito e melhorias na mobilidade urbana.

A primeira etapa a ser cumprida engloba os procedimentos de terraplanagem, pavimentação e drenagem e, segundo Elói, deverão ficar terminar até novembro de 2013. Já a seleção de famílias a serem beneficiadas pelo Minha Casa Minha Vida deverá começar em meados do próximo ano.

Elói também adiantou que o empreendimento irá gerar para a cidade entre 250 e 300 empregos diretos e que foi dada a preferência para empresas com sede em Coronel Fabriciano para os trabalhos.

A futura prefeita da cidade, Rosângela Mendes (PT), disse que já existe uma equipe preparada para acompanhar o empreendimento, que em sua gestão terá grande importância. Ela e Chico fizeram questão de ressaltar que, mesmo tendo sido planejada há muito tempo, em nenhum momento a obra foi utilizada como promessa de campanha durante as eleições deste ano. Eles destacaram que o anúncio do início dos trabalhos foi feito no “momento certo”.

Você também pode gostar