Nacionais

Gleisi defende eleições para superação da crise

BRASÍLIA – A senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) disse que nesse momento de crise política e institucional, agravada com a divulgação da primeira delação de ex-executivos da Odebrecht, é preciso suspender as votações nas comissões e no Plenário do Senado. Assim, afirmou, será possível a concentração dos esforços para a superação da crise entre os Poderes e do conflito dentro dos próprios Poderes, como o que ocorreu no Supremo Tribunal Federal.
– A única solução é eleições diretas. Nós não podemos ficar alheios a essa situação. Se tem um tema para discutir nessa Casa, a partir de amanhã, é como fazer eleição direta em 2017, antecipar as eleições de 2018. E eu não estou falando que é eleição somente para presidente da República, não. Vamos fazer eleição para todo mundo.

VAZAMENTO

Gleisi Hoffmann lamentou ainda a continuidade do vazamento, para a imprensa, do conteúdo de delações premiadas. Ao divulgá-las, a mídia o faz de modo a igualar as doações legais de campanha às propinas e à venda de emendas em medidas provisórias.
Isso, em sua opinião, reforça a falta de credibilidade do parlamento e faz aumentar na sociedade a ideia de que a política é lugar de criminoso.
Aposentadoria

APOSENTADORIA

Gleisi Hoffmann criticou afirmações feitas pelo secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, em que defende a mesma idade mínima para a aposentadoria de homens e mulheres.
Marcelo Caetano, segundo a senadora, argumentou que as mulheres, mesmo que se aposentem na mesma idade que os homens, serão beneficiadas, porque vivem mais que os homens.
– Ele não leva em consideração o fato de as mulheres terem filhos, não leva em consideração o fato de as mulheres terem mais dificuldade no mercado de trabalho, serem mais discriminadas, terem salários diferentes e que a Previdência é um instrumento de política pública que ajuda a combater desigualdades e diferenças de renda – afirmou a senadora.

Você também pode gostar