Cidades

Fios de Amor tece a rede da solidariedade

IPATINGA – Força e beleza são características que sempre estiveram ligadas aos cabelos no imaginário das pessoas, principalmente na cabeça das mulheres. Tanto que, na ausência deles, para Alice Anício de Morais, de 44 anos, “as pessoas olham mais para você nas ruas, parecem se incomodar”. A percepção dela, que luta contra um câncer de mama desde junho, é a mesma para centenas de outras pacientes da Unidade de Oncologia do Hospital Márcio Cunha (HMC), em Ipatinga, MG. Porém, agora elas passarão a descobrir bons motivos para atrair outros olhares despidos de preconceito – das pessoas e de si próprias, com o Projeto Fios de Amor.

PARCERIA

Promovido pela Fundação São Francisco Xavier, entidade que administra o HMC, o Fios de Amor é resultado do trabalho em conjunto de profissionais da saúde, da área da beleza e de pessoas que cortaram e doaram seus cabelos para serem transformados em perucas. O objetivo é ajudar a resgatar a autoestima de quem passa pelo tratamento contra a doença. Por isso o lançamento do projeto na noite desta quarta, 9, foi um verdadeiro desfile de solidariedade e amor ao próximo. Na passarela, 15 mulheres pacientes da Unidade de Oncologia do Hospital Márcio Cunha e duas pessoas que já doaram seus cabelos desfilaram confiança e vontade de viver, ensinando que a beleza da vida está no aprendizado de seguir em frente. Mulheres como a Alice, que agradece. “Esse belo projeto irá beneficiar muitas mulheres. Para mim, foi uma honra desfilar na passarela. É sinônimo de superação.”

AUTOESTIMA

O Fios de Amor é um caminho que ajudará a transformar o gesto de solidariedade de algumas pessoas em mais alegria para mulheres que enfrentam um momento de fragilidade por conta da doença. Fios que virarão perucas e passarão a integrar um estoque de perucas da Unidade de Oncologia, ou melhor, um estoque de força e beleza. Assim, muito em breve, as pacientes que sentirem necessidade terão o acessório à disposição, e de forma gratuita e rápida, sem precisar pagar caro por isso ou aguardar a sua confecção, que demanda, em média, de 15 a 30 dias.

Satisfação em fazer o bem

As perucas do Fios de Amor permitirão às pacientes escolherem as ‘novas madeixas’ na Unidade de Oncologia, a partir do modelo que melhor combina com o seu formato de rosto e tom de pele, ou conforme sua personalidade. “Além de estar satisfeita com o seu tratamento, a paciente também precisa estar satisfeita consigo mesma. Embora a mulher esteja enfrentando o câncer, é importante que ela se sinta bonita”, destaca Mauro Oscar Soares Souza Lima, superintendente do Hospital Márcio Cunha.

Essa alegria e vontade de ver o outro feliz já tem contagiado diversos voluntários. A professora de língua portuguesa e inglesa, Jaqueline Vieira Coelho, se sensibilizou com a causa logo quando soube do projeto. “Eu decidi doar o meu cabelo porque sei que várias mulheres passam por situações difíceis. A única coisa que quero ganhar com esse gesto é a gratidão e me sentir feliz por pensar no próximo”, explica. No lançamento do Fios de Amor, Jaqueline também estará na passarela, desfilando de mãos dadas com aquelas que passarão a caminhar agora com um pouco de sua beleza e muito da sua solidariedade.

Você também pode gostar