Cidades

Fabriciano finaliza Plano de Ação Intersetorial sobre Álcool e Drogas

Reunião da Comissão Intersetorial de Políticas sobre Álcool e Drogas

FABRICIANO – A Comissão Intersetorial de Políticas sobre Álcool e Drogas realizou, nesta sexta-feira (7), uma reunião que marcou a finalização do Plano de Ação para o município. O levantamento das dificuldades e diretrizes para construção e implementação das políticas sobre drogas foi um trabalho em conjunto entre as secretarias municipais de Saúde, de Assistência Social, de Educação e Cultura e de Juventude, Esporte e Lazer da Prefeitura de Coronel Fabriciano.

REDE
A iniciativa contou com a consultoria da técnica de Escola de Saúde Pública de Minas Gerais, a psicóloga Ana Regina Machado. O resultado do trabalho de consultoria, iniciado em agosto, foi apresentado na reunião que aconteceu no gabinete do prefeito e que contou com a participação da consultora, de membros da Comissão Intersetorial de Políticas sobre Drogas e da secretária de Governo e Comunicação Social, Rosângela Mendes.

De acordo com a gerente de Atenção Especializada da Prefeitura, Patrícia Guedes, o Plano possibilitará a implantação da Rede de Atenção Intersetorial aos Usuários de Álcool e Drogas em Fabriciano. “Com essa iniciativa, conseguimos visualizar as ações que serão implementadas a partir de 2013”, revela. O trabalho está relacionado com a instalação do Centro de Atenção Psicossocial de Álcool e Drogas (Caps-AD), a criação de novos equipamentos, a preparação de mais profissionais e elaborações de novos projetos para atender usuários de álcool e drogas, contemplando seus familiares.

DIFERENCIAL
A consultora Ana Regina Machado diz que o diferencial de Fabriciano é que o Plano de Ação foi construído, efetivamente, de forma intersetorial. “Além de fortalecer o trabalho de atendimento junto às famílias com a criação de Equipe de Referência para Atenção de Usuário de Drogas, para adultos, crianças e adolescentes, teremos também ações realizadas no campo escolar. Para isso, algumas escolas que apresentam problemas relacionados às drogas serão escolhidas para que sejam desenvolvidas ações preventivas de forma mais específica”, esclarece Ana Regina.

Você também pode gostar