Cidades

Fabriciano é escolhido em pesquisa da Unesco e MEC

A pós-doutora Maria Isabel, na Escola Said Albeny: ela foi foi contratada pela Unesco para visitar as cinco cidades selecionadas   (Foto: Divulgação)

 

FABRICIANO – Coronel Fabriciano está entre as cinco cidades brasileiras selecionadas para participar da Pesquisa do Ciclo de Alfabetização preparada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pelo Ministério da Educação (MEC). Os dados da pesquisa, que avalia o Ciclo de Alfabetização desenvolvido pela Secretaria de Educação da Prefeitura de Coronel Fabriciano, serão utilizados como subsídios para criação do Plano Nacional de Alfabetização na Idade Certa (PNAIC) no Brasil. A visita técnica aconteceu no município durante esta semana.
A doutora em Educação e pós-doutora em Arte-Educação, Maria Isabel Leite, foi contratada pela Unesco e MEC para prestar a consultoria e visitar as cinco cidades selecionadas no País. Maria Isabel esteve em Fabriciano, na quinta (3) e sexta-feira (4), e se reuniu com professores, pais de alunos e também participou de atividades com crianças do Ciclo Básico da Escola Municipal Said Albeny, no bairro Santo Antônio. A pesquisadora também teve a oportunidade de conhecer o Projeto Escola Integral em Tempo Integral, desenvolvido pela Prefeitura de Coronel Fabriciano desde 2006.
Conforme Maria Isabel, a qualidade e maturidade na metodologia de ensino implantada pela Secretaria de Educação e Cultura foram fatores importantes para que o município fosse escolhido. “Enviamos os questionários a todos os municípios do País e obtivemos a resposta de 498. Nas respostas de Fabriciano percebemos uma argumentação rica quanto à implantação do Ciclo de Alfabetização”, informa a pesquisadora.

ESCOLHIDOS

Os cinco municípios foram selecionados a partir de uma análise cuidadosa dos questionários respondidos pelas secretarias municipais de Educação de todo o Brasil. Fabriciano foi escolhido para representar a região Sudeste. Também participam da pesquisa os municípios de Jaciara, no Mato Grosso, representando a região Centro-Oeste; Lajeado, no Rio Grande do Sul, pela região Sul; Petrolândia, em Pernambuco, representando a região Nordeste; e Dois Irmãos do Tocantins, no Tocantins, pela região Norte.
A secretária municipal de Educação e Cultura, Glória Gíudice, destaca que a participação de Fabriciano na pesquisa da Unesco e MEC comprova o trabalho de excelência que vem sendo desenvolvido pela Prefeitura. “Muitas ações estão sendo realizadas no Ciclo da Alfabetização, desde 98, no primeiro governo Chico Simões, quando iniciamos sua implantação na Escola Argeu Brandão. A Educação de Fabriciano já foi apontada como exemplo para a região. Agora, a metodologia de ensino, desenvolvida pela Prefeitura, vai servir de base para a elaboração de um programa nacional de Educação”, avalia a secretária.

Questionário embasou 1ª fase de seleção
Fabriciano
– O processo de seleção começou com a distribuição de um questionário para todas as secretarias de Educação dos 5.564 municípios do Brasil. Com as respostas desse questionário, foi realizada a primeira seleção, que definiu os municípios que adotavam o Ciclo de Alfabetização, que compreende os 1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental, e os que não adotavam. Chegou-se à média de dois terços que já desenvolviam a metodologia de ensino, e para esse percentual foi enviado um segundo questionário. Nos dois questionários havia várias questões sobre a organização e a estrutura dos projetos desenvolvidos pelos municípios.
“Os questionários de Fabriciano foram muito bem respondidos, assim como os das outras quatro cidades visitadas. A próxima fase era que a Administração Municipal desenvolvesse o ciclo de alfabetização antes de 2009. Como também passou por essa etapa, enviamos ao município um terceiro questionário. Desta vez, destinado às escolas, para cruzar as informações fornecidas pelos três questionários. Quando fizemos uma análise qualitativa de todos os municípios respondentes da região Sudeste, elegemos Fabriciano para ser visitado”, explica a pesquisadora Maria Isabel.

Ciclo de Alfabetização compreende três anos
Fabriciano
– Ciclo de Alfabetização é o processo pedagógico que acontece nos 1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental. Segundo a concepção defendida pelo MEC, em vez de pensar em 200 dias letivos, é como se pensasse em 600 dias letivos, somando os três anos iniciais. “A gente compreende que todo esse processo de entrada e assimilação do universo da leitura e da escrita, demanda um tempo e que cada criança tem um ritmo”, acrescenta Maria Isabel.
Em função disso, o MEC propõe que os municípios possam alargar esse período. “Com esse método de ensino há uma ideia mais concisa de Ciclo, de temporalidade humana e de desenvolvimento infantil. Ao invés de a criança entrar e sair ano a ano, sendo alfabetizada, tendo que cumprir os objetivos daquele ano, pensamos nesses três anos como um bloco, respeitando o ritmo de cada criança, sendo possível fazer uma avaliação diagnóstica processual e tomar providências a partir dos resultados dessas avaliações”, esclarece a pesquisadora.

Você também pode gostar