Cultura

Estado aprova 99 projetos da região

IPATINGA – A Lei Estadual de Incentivo à Cultura (LEIC) alcançou um número recorde de projetos aprovados para este ano. No Vale do Aço, 99 receberam o aval do Estado e receberão mais de R$ 20 milhões. Deste total, 79 estão concentrados em Ipatinga. O número representa um aumento de 33% . Os projetos aprovados envolvem nove áreas de atuação: criação, experimentação, pesquisa, excelência artística e ainda preservação e proteção do patrimônio material e imaterial.

INICIANTE
O cartunista Jorge Inácio tem o seu trabalho reconhecido em toda a região e pela primeira vez teve um projeto aprovado pela Lei de Incentivo do Estado. O projeto do cartunista poderá captar mais de R$ 80 mil. O trabalho realizado será uma revista organizando as caricaturas do profissional. “Vou realizar um grande sonho que é montar um livro com as minhas caricaturas já feitas, além de desenhar outras de acordo com a necessidade para compor o livro. Eu desenho sempre pessoas especiais para mim: amigos, famosos e pessoas que são completamente desconhecidas. Faço caricatura de gente de todos os tipos”, contou Jorge Inácio.
O profissional irá contar com a ajuda de amigos para conseguir captar o valor destinado ao projeto. Além disso, alguns exemplares dos livros serão doados a bibliotecas e escolas públicas do Estado. “Dois amigos estão me ajudando e estão à frente da parte financeira. Também pretendo levar esse projeto para a minha cidade natal, Conselheiro Lafaiete. E o projeto prevê ainda doações para escolas, o que é muito interessante”, revelou o cartunista. O livro também contará com caricaturas de famosos como Jimi Hendrix e Amy Winehouse.

12 ANOS
Já Marilda Ramos Lyra vai executar o projeto ‘Festival da Criança’ pela décima segunda vez. Ela participa da Lei de Incentivo à Cultura desde a implantação do projeto em Minas Gerais. “Sempre tivemos projetos inscritos e por doze anos estamos sendo aprovados. Temos um cronograma fixo para execução e sempre levamos para as escolas para proporcionar um momento cultural às crianças”, explicou Marilda.
Segundo a idealizadora, o principal objetivo do ‘Festival da Criança’ é inserir as crianças de baixo poder aquisitivo no mundo cultural. “Grande parte do projeto é gratuito e nós doamos os ingressos às escolas para que seja despertado interesse nas crianças, que muitas vezes não têm como frequentar o teatro. E também queremos oferecer outra opção de divertimento além do computador, que é muito utilizado pelas crianças hoje em dia”, diz Marilda Lyra.
No ano anterior, o projeto foi realizado em Ipatinga, Bom Jesus do Bagre e em Ipabinha, no município de Santana do Paraíso. Em oito apresentações teatrais, o público chegou a 4,5 mil pessoas. Para 2012, a expectativa é manter o mesmo sucesso e levar o espetáculo para Belo Oriente e mais uma vez para Bom Jesus do Bagre.

ESPAÇO CULTURAL
A Cia Bruta de Teatro de Ipatinga também teve um projeto aprovado para a manutenção do espaço onde funciona a companhia. “Na Cia Bruta são realizadas diversas ações artísticas como oficinas e exposições. Temos várias ideias que estamos sempre tentando colocar em prática. Para nós é um imenso prazer levar um pouco de cultura à população”, afirmou Thiago Vaz, proprietário da Companhia de teatro.

 

Recursos devem ser captados  junto a empresas patrocinadoras


IPATINGA –
Depois de aprovados, os autores dos projetos devem começar a procurar formas para captar os recursos para executar os trabalhos. A aprovação pela Lei de Incentivo a Cultura não é garantia que os idealizadores conseguirão colocá-los em prática. O governo do estado divulga a lista com as aprovações, autorizando os autores a captar os recursos.
A principal forma de conseguir verba para as realizações é conseguindo patrocínio de grandes empresas da região. Elas doam o valor para os projetos e recebem do governo estadual um desconto de até 80% no valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) devido.
Os idealizadores dos projetos reclamam da falta de apoio. “Infelizmente, ainda são poucas empresas que incentivam a cultura na cidade. Nós não cobramos para oferecer os nossos serviços porque acho injusto captarmos recursos e ainda assim cobrar das pessoas que nos prestigiam. Realizamos sempre ações gratuitas, mas o difícil é encontrar patrocínio”, lamentou Thiago Vaz, da Cia Bruta de Teatro.
A grande patrocinadora dos projetos culturais em Ipatinga é a Usiminas. “Algumas empresas não têm interesse. E com a patrocínio, além de obter o desconto do ICMS, ainda é possível agregar cultura à marca. E o valor investido volta para a economia da cidade. Porque contratamos pessoas temporárias, fornecemos trabalho às gráficas locais e hospedamos muitas pessoas nos hotéis”, afirma a produtra Marilda Lyra, reforçando o papel da Usiminas como uma das únicas patrocinadoras.
Wenderson Godoi dos Santos é autor do projeto ‘Encontro de Dança Contemporânea de Ipatinga (ENARTCI)’ que em 2012 comemora dez anos de execução. De acordo com Wenderson, o projeto irá custar R$ 379 mil. “Vai ser uma guerra para conseguir todo esse dinheiro porque sabemos que a empresa que patrocina não tem condições de custear todo esse valor. No ano passado, conseguimos menos da metade do valor previsto pelo projeto. A nossa expectativa é maior porque vamos celebrar a décima edição e isso pode atrair mais patrocinadores”, avalia Wenderson.

Você também pode gostar