Cidades

Escolas buscam parceria com a agricultura familiar

Áldrin Carlos Assis, da Emater, e o presidente da Adeipa, Denilson Almeida, no lançamento do Edital de Compras de Produtos

 

IPATINGA – Além de nutrir nossas crianças, a merenda escolar tem outra função muito relevante: contribuir com a economia do país. Desde 2009, as escolas da rede pública municipal e estadual são obrigadas a comprar no mínimo 30% dos produtos da reifeições oferecidas aos alunos da chamada agricultura familiar. Sancionada pelo ex-presidente Lula, a Lei 11.947 surgiu para apoiar os pequenos produtores em todo o Brasil. Além de servir como estímulo para a produção regional, a ideia tem o objetivo também de disponibilizar para os estudantes um cardápio afinado com a culinária e a cultura local.
Entretanto, os diretores das escolas públicas encontram dificuldades para estabelecer negócios com os produtores locais. No ano passado, as 25 escolas estaduais do município de Ipatinga não conseguiram se adequar às normas da legislação. “O desconhecimento da legislação por parte dos produtores; o pouco tempo que as escolas tiveram para se adaptarem às novas regras e a principalmente a falta desses produtos no mercado foram os principais fatores que nos impediram de ter uma merenda com mais produtos regionais”, explica o presidente da ADEIPA – Associação de Diretores das Escolas Estaduais de Ipatinga, Denilson Almeida Freitas.
A entidade reuniu-se no mês passado para encontrar soluções que aproximassem as escolas dos agricultores. Como alternativa para dinamizar essa relação, os diretores de escolas resolveram lançar um edital unificado para atrair interessados em vender sua produção agrícola. “É uma forma de centralizar a procura e facilitar para o agricultor, que não precisa fazer uma peregrinação de escola em escola”, argumentou Denilson.
O edital foi lançado na última segunda-feira, 27, na sede da Emater – Empresa Brasileira e Assistência Técnica e Extensão Rural no Centro de Ipatinga. Para o líder dos diretores de escola, “a Emater tem um papel fundamental de dinamizr o fomento e garantir a médio prazo a adesão dos agricultores familiares”, finalizou.

Você também pode gostar