Nacionais

Duplicação da BR-381 e restauração de ponte velha na pauta da ALMG

FABRICIANO – As obras de duplicação da BR-381 entre Governador Valadares e Belo Horizonte e a interdição de ponte entre Coronel Fabriciano e Timóteo, duas obras de responsabilidade do governo federal, serão novamente tema de uma audiência pública. Desta vez, as discussões serão promovidas pela Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

A audiência está marcada para as 11h desta terça-feira (26), no auditório da ALMG, em Belo Horizonte, com a participação de representantes de entidades e instituições, como o superintendente regional e o diretor geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no Estado de Minas Gerais (DNIT), Fabiano Martins Cunha e Valter Casimiro Silveira, respectivamente, além de entidades e instituições do Vale do Aço, entre os quais o vice-presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais (FIEMG), Flaviano Mirco Gaggiato. Também são esperados os presidentes da Construtora Brasil, Rafael Vasconcelos, do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada de Minas Gerais (SITICOP), José Antônio da Cruz, e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada de Minas Gerais (SICEPOT-MG), Emir Cadar Filho.

O deputado Celinho do Sinttrocel quer o compromisso do governo federal com essas duas importantes obras para o Vale do Aço

Em alguns casos, as obras avançam lentamente; noutros, os editais de licitação sequer foram publicados


“FALTA DE RESULTADOS”

Membro titular da Comissão de Transporte, Comunicação e Obras Públicas da ALMG e autor do requerimento para a realização da audiência, o deputado estadual Celinho do Sinttrocel (PCdoB) lembra que essa é “pelo menos a terceira vez” em que a duplicação da BR-381 e a situação da antiga ponte sobre o rio Piracicaba entre Fabriciano e Timóteo são pautadas para uma discussão pública. O motivo, justifica, “é a falta de resultados para a população, principalmente no que se refere à ponte”.
Dessa vez, Celinho do Sinttrocel disse que espera esclarecimentos sobre o novo edital para realização das obras de recuperação da ponte, que há muito tempo está parcialmente interdita. Ele lembra que solução para o problema da ponte se arrasta há pelo menos cinco anos, desde quando o tráfego foi limitado a veículos leves.
A limitação à passagem de veículos maiores na antiga ponte tem prejudicado comerciantes das duas cidades, principalmente os da avenida Tancredo Neves, em Coronel Fabriciano, uma vez que a ponte dá acesso ao início da avenida. Por outro lado, acrescenta o parlamentar, a ponte nova que passou a ligar os dois municípios acabou por deslocar o trânsito pesado para dentro de Fabriciano, e, com isso, os caminhões pesados estariam danificando o asfalto e gerando rachaduras em casas de bairros como o São Domingos.
Quanto à duplicação da rodovia federal que liga o Vale do Aço à capital mineira, ele adianta que o objetivo principal é cobrar a continuidade das obras nos lotes que já estão em andamento, além de um posicionamento com relação aos demais lotes que ainda não contam nem mesmo com licitação para sua execução.
A audiência desta terça-feira na Assembleia Legislativa, conforme o deputado do PCdoB, “é o momento de garantirmos o compromisso do governo federal com essas obras, tendo em vista o orçamento da União para o próximo ano”.

Você também pode gostar