Cidades

Documentos perdidos aguardam por donos no Terminal Rodoviário

Os documentos perdidos no terminal são entregues às atendentes no setor de Informação e depois repassados à Administração

FABRICIANO – O vai e vem de pessoas durante as férias ou nos feriados, somado à pressa para embarcar no ônibus, faz com que muitos passageiros que passam pelo Terminal Rodoviário de Coronel Fabriciano não tenham a devida atenção com seus documentos.
Por isso, o volume de documentos esquecidos aumenta nas datas festivas. Depois de encontrados, eles vão parar no Guichê de Informação da rodoviária do município e acabam nas mãos do coordenador do terminal, José Hélio, mais conhecido como Côco.

Apesar de não ser sua obrigação localizar os donos, o responsável pela administração do local tenta buscar informações para fazer com que o documento chegue até o proprietário.
“Aqui na rodoviária, a pessoa que encontra alguma coisa entrega direto no guichê de informação, e as funcionárias deixam comigo na administração. Então, temos várias cédulas de identidade, carteira de trabalho, título de eleitor e CPF perdidos”, contou.

Também já foram encontrados pelo Terminal vários cartões de créditos. Com eles, Côco tem ainda mais cuidado, e quebra-os para evitar o uso indevido.
“Quebro todos os cartões que são entregues para não serem usados. Tenho esse tipo de preocupação com o cartão porque é muito arriscado. Entrego ao dono mesmo danificado para comprovar a quem perdeu o nosso cuidado”, afirmou.

ACHADOS E PERDIDOS
José Hélio comentou que as pessoas entregam os documentos no terminal e também nas agências dos Correios. Em alguns casos, é comum as rádios anunciarem o que foi achado, para facilitar a sua devolução.
“Temos vários documentos dispostos a entregar ao dono. As pessoas ficam sem eles muitas vezes porque não sabem onde podem procurar. Em Fabriciano posso dizer que os encontrados dentro do Terminal Rodoviário ficam aqui na administração, aguardando a pessoa”, citou.

O coordenador do Terminal contou que é comum encontrar junto com o item perdido pistas que ajudam a localizar o proprietário. “Em muitos casos, eles deixam algum papel com telefone ou mesmo uma conta de luz ou outra coisa, que acaba ajudando a identificar. Através desse contato, localizo o proprietário”, relatou.

EXTRAVIADO
A dedicação de José Hélio com os objetos perdidos no Terminal Rodoviário de Coronel Fabriciano é tamanha que no final de janeiro ele encontrou a mala de uma passageira, extraviada pela companhia de ônibus. “Encontrei a mala de uma pessoa que embarcou em um ônibus. Com os documentos que haviam dentro, descobri que a proprietária era de Carapina, cidade próxima a Vitória, no Espírito Santo. Fiz contato com ela, que então retornou para reaver a mala”, revelou. Depois da empreitada para localizar a proprietária do objeto, José Hélio descobriu que houve o extravio de bagagem por culpa da empresa. “Os pertences foram entregues para mim e graças a Deus consegui entregá-los”, comemorou.

Ainda restam cerca de 30 itens entre carteiras de identidade, de trabalho e CPF à espera de seus proprietários, cuja localização não foi possível pela administração do terminal.

 


Apesar do esforço de José Hélio em entregar os documentos
achados, ainda há em seu poder identidade, CPF e carteiras
de trabalho esquecidas

Você também pode gostar