Cidades

Combate ao abuso sexual mobiliza jovens em Ipatinga

Ione Tofanelli durante manifestação contra o abuso sexual infantil, na Praça 1º de Maio    (Crédito: José Barbosa/ACS)

 

IPATINGA – A campanha “Proteja Nossas Crianças”, de combate ao abuso sexual contra crianças e adolescentes, ganhou densidade na tarde desta quinta-feira (17) com a realização de um ato de repúdio na praça 1º de Maio, Centro de Ipatinga. Passeata pelas principais ruas do Centro com distribuição de adesivos e material de conscientização para sensibilizar a sociedade foi realizada, e cópias do Estatuto da Criança, que entrou em vigor em julho de 1990, também foram distribuídas à população.

REFERÊNCIA
Teatro de fantoches serviu para conscientizar e motivar centenas de crianças e jovens da Escola Municipal Márcio de Andrade Guerra (bairro Veneza II), da Horta Comunitária e do Setor de Integração e Desenvolvimento Educativo (Side). O ato público foi liderado por Ione Tofanelli, referência na política de proteção à criança e aos adolescentes em todo o Estado de Minas Gerais.
As manifestações da Semana de Combate à Violência em Ipatinga são resultado de uma parceria entre o Conselho Municipal de Defesa da Criança e do Adolescente (Cmdca) e das Secretarias Municipais de Assistência Social, da Saúde e de Educação.
As atividades tiveram início na segunda-feira (14) com palestra, projeção de filme e debate na escola de medicina Univaço. E serão encerradas nesta sexta-feira (18) com blitzes na BR-381, em frente ao Shopping do Vale e ao Posto Faisão na saída para Governador Valadares.

CREAS alerta pais contra abuso sexual
Timóteo
– Hoje (18), data alusiva ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, a Prefeitura Municipal de Timóteo, através da Secretaria de Assistência Social de Timóteo, por intermédio do CREAS, realizará uma movimentação na Praça 1º de Maio, Centro Norte de Timóteo, com distribuição de panfletos sobre o tema, de 9h às 12h.
“A nossa intenção é sensibilizar e mobilizar a população em geral, e principalmente os formadores de opinião, para motivar ações espontâneas das pessoas a fim de reconhecer, denunciar, e, com isso, proteger as crianças e adolescentes do abuso e exploração sexual”, afirma Rosana Moura, assistente social e coordenadora do CREAS.
TEMA DIFÍCIL
Segundo a psicóloga do CREAS, Maria Elisa Rezende Takahak, os pais podem ajudar a proteger seus filhos do abuso sexual conversando abertamente com eles sobre o assunto, dando informações adequadas.
“Pode parecer um assunto difícil de conversar, mas é a melhor maneira de proteger os filhos. As informações devem ser adequadas a suas idades, garantindo que as crianças saibam quais são os comportamentos certos e errados. Além disso, os pais devem ensinar as crianças a dizer “não” ao agressor, diz Maria Elisa.

Conversa
Para a psicóloga, conselhos antigos como “Não aceite balas de estranhos e nem fale com desconhecidos” é uma boa forma de introduzir a conversa com a criança. Maria Elisa alerta para outras formas de abordagem. “Mostre quais são os toques permitidos (como um abraço ou um tapinha nas costas) e quais são ruins, como as áreas privadas.
Diga ao seu filho que ninguém, nenhum membro da família, ou outra criança ou adulto pode tocá-la nas áreas cobertas por um biquini, cueca ou calcinha, porque estas são áreas privadas. Diga à criança que ela tem o direito de dizer “não!”. Caso isso já tenha acontecido explique que a criança deve dizer isso à mãe, pai e ou a avó/avô ou outra pessoa de confiança imediatamente”, explica a psicóloga. A melhor forma de prevenir o abuso em crianças e adolescentes é conversando.

Você também pode gostar