Cidades

Clubes reivindicam mais apoio financeiro à LDI

Ailton Dias: “A LDI recebe muito dinheiro, mas o que repassa para os clubes é pouco”, opinou

 

IPATINGA – Se por um lado as verbas públicas destinadas a fomentar o esporte amador em Ipatinga são altas, conforme reportagem publicada na edição de ontem (9) do DIÁRIO POPULAR, por outro, os times consideram a ajuda recebida da Liga de Desportos de Ipatinga (LDI) insatisfatória.
Diante das declarações dadas pelo presidente licenciado da Liga de Desportos de Ipatinga (LDI), Adiel Oliveira, a reportagem conversou com alguns presidentes de clubes para confrontar as informações.
Segundo Adiel, o dinheiro recebido – R$ 1,5 milhão em 2011 e mais R$ 1,5 milhão previsto para 2012 – dos cofres públicos é direcionado para o custeio dos campeonatos promovidos pela entidade. A agremiação fornece aos clubes materiais esportivos como uniforme, chuteira e transporte. Ele também informou que o custo com a manutenção dos campos é arcado pela LDI.
Mas o presidente do Esporte Clube Vila Celeste, Ailton Dias de Castro, assegurou à reportagem que o campo existente no bairro é mantido pela diretoria, com a ajuda de empresas privadas. Tanto que os gastos anuais com a manutenção giram em torno de R$ 1,5 mil.
Ailton cuida dos interesses do Esporte Clube Vila Celeste há pelo menos 36 anos. Ele revelou que passou metade da sua vida envolvido com o futebol no seu bairro. “Infelizmente, o poder público nessa parte tem falhado conosco. De vez em quando eles mandam bater (cortar) o gramado para nós, a máquina vem e faz o serviço. Hoje a LDI também tem uma máquina para fazer isso. Mas, o resto é a gente. Nem mesmo rastelar (retirar grama cortada) eles fazem”, informou.
A principal ajuda recebida da LDI é o custeio da arbitragem, integralmente paga pela entidade. O transporte para as partidas fora do município também é feito pela Liga, mas dentro do município a responsabilidade é do clube.
“A Liga fornece os uniformes. De um ano para cá, passaram a fornecer alguns pares de chuteiras para a categoria adulta, por exemplo. Inclusive nós temos cobrado mais apoio para as categorias de base, que tem mais necessidade pelo fato de participarem muitas crianças carentes, ainda está faltando esse investimento”, pediu.

MAIS INVESTIMENTOS

“Agora, esse ano, eles estão dando alguma ajuda de custo, pequena ajuda, inclusive queríamos uma ajuda melhor. Infelizmente eles falam que estão com dificuldade de dinheiro. Só tenho uma dúvida, que é a seguinte: o dinheiro que é passado para a entidade parece que é muito, mas o que a entidade representa não é só o futebol. O dinheiro que poderia investir nos clubes para registrar e disputar os campeonatos é desviado para outra finalidade”, considerou.
Ao avaliar que a LDI aplica mal os recursos recebidos, Ailton esclarece que a entidade promove muitos campeonatos. “A LDI recebe muito dinheiro, mas o que repassa para os clubes é pouco. Mas não quero dizer com isso que é desviado, é investido em outras modalidades que não deveria. O dinheiro que é repassado para os clubes deveria ser um investimento melhor. Nossa dificuldade é muito grande”, revelou o presidente.

AJUDA SIMBÓLICA

Ailton ressaltou que os gastos do Vila Celeste Esporte Clube são mantidos com a ajuda da iniciativa privada. Apenas água e luz são pagas pela Prefeitura.
“Temos que correr para outros lados, como de um deputado para nos ajudar. Se o campo hoje tem a estrutura que tem, é graças à iniciativa privada. Mas, com isso não quero dizer que a Liga não nos ajuda, só acho que poderiam fazer mais, não ficando apenas na ajuda simbólica”, disse.
O ginásio e os vestiários construídos na gestão do ex-prefeito Sebastião Quintão (PMDB) foram viabilizados através de uma emenda parlamentar do deputado federal Leonardo Quintão (PMDB).

Manutenção no Itamarati também não é feita pela LDI
Ipatinga
– O presidente do Esporte Clube Itamarati, situado no bairro Bethânia, Teodomiro Fernandes, também afirmou que a manutenção do campo é feita com recursos próprios, oriundo das escolinhas de futebol que funcionam nas dependências do clube.
“Mantenho um zelador aqui e pago um salário. No final do ano tem adubo, e ainda a areia. Aqui no Itamarati, em termos de manutenção, o poder público é zero. Aqui nós conseguimos recursos próprios dos aluguéis de escolinhas de futebol, dos máster que jogam. Nosso custo é pago com esses recursos”, alegou.
Sobre o apoio dado pela Liga de Desportos de Ipatinga (LDI) ao Itamarati, Teodomiro falou que recebe apoio para os times sob sua direção. Ele chegou a receber verbas em espécie para cobrir despesas enquanto o convênio com a Prefeitura de Ipatinga não tinha sido liberado. “Às vezes, eles fornecem recursos para comprar, quando não vem o material próprio. Nesse caso, quando os recursos demoram a sair e o convênio demora a ser assinado, aí você acaba comprando, e eles (LDI) reembolsam esses valores que você gasta”, revelou.
Todos os times pertencentes ao Esporte Clube Itamatari disputam os campeonatos promovidos pela Liga.
“Recebemos chuteira apenas para o junior e o futebol amador. Para as demais categorias, apenas os uniformes – meia, short e camisa. Já o máster, só a arbitragem. Tudo que vem é bem vindo, mas eles alegam que os recursos que vêm não são suficientes”, finalizou.


Teodomiro Fernandes: “Eles (a LDI) nos fornecem recursos para comprar, quando não vem o material próprio”, comentou

Você também pode gostar