Policia

Civil prende um dos maiores assaltantes de banco do País

Rubão se mostrou tranquilo durante a apresentação     (Crédito: policianolocal.blogspot.com)

 

DA REDAÇAO – Um dos maiores ladrões de banco do país foi apresentado na última sexta-feira (3), na sede da Divisão de Operações Especiais (Deoesp) da Polícia Civil de Minas. Rubens Ramalho de Araújo, o Rubão, 44 anos, possuía 19 mandados de prisão em aberto por assalto, sendo três expedidos pela Justiça de Minas, e era procurado em 10 estados.
De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Márcio Nabak, Rubão foi preso na noite de quarta-feira (28), próximo à cidade de Palmas, em Tocantins. Ele estava sendo investigado há cerca de um ano.

IPATINGA
Rubão liderava uma quadrilha especializada em assaltar carros-fortes e agências bancárias. Em uma das ações da quadrilha, em Ipatinga, dois vigilantes foram mortos.
Na ocasião, o bando usava armamento pesado como uma metralhadora calibre 50 montada sobre um tripé na carroceria caminhonete S-10. Os criminosos assaltaram um carro-forte da Rodoban que seguia de Governador Valadares para Ipatinga.
O crime ocorreu em 2008, na BR-381, próximo a Santana do Paraíso. Nessa ação, um Golf, um Gol e uma Silverado davam cobertura ao assalto. Foram assassinados a tiros os vigilantes Joel José dos Santos, 53 anos, e Nilson Duarte, 38 anos. O vigilante José Ferreira de Martins, 40 anos, foi atingido na perna. Os marginais usaram uma bomba para explodir o cofre do veículo e roubar seis malotes com 200 mil reais. Rubão ainda é acusado de participar de outros dois assaltos, em Itabira e em Mesquita.

NOVO CANGAÇO
A ousadia dos criminosos levou a polícia a chamar as ações da quadrilha de “Novo Cangaço”. Para cometer os assaltos, o grupo sitiava as cidades, rendia os policiais dos municípios, faziam os clientes reféns e, após esvaziar os cofres, fugiam, liberando as vítimas aos poucos.
O suspeito foi transferido para Belo Horizonte na quinta-feira (29), e conduzido para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem. As investigações continuam para identificar outros membros da quadrilha e o destino do dinheiro roubado. (Com informações da Assessoria Comunicação PCMG)

Você também pode gostar