Policia

Civil conclui inquéritos de duas tentativas de homicídios

(Créditos: Gizelle Ferreira)

IPATINGA – A Polícia Civil de Ipatinga concluiu dois inquéritos de tentativas de homicídios ocorridas no mês de janeiro deste ano com autorias definidas. O empresário Celso Teixeira de Souza, 40 anos, confessou ter atirado contra um segurança em uma festa denominada Quintaneja que ocorria no Clube Ipaminas, no bairro Cidade Nobre.

Em meados do mês passado, o segurança da festa Augusto Leitão Lopes, 39 anos, foi atingido no abdomen. Segundo consta do Boletim de Ocorrência da Polícia Militar, o empresário havia se desentendido com a mulher que o acompanhava e entrou em seu veículo. Testemunhas disseram que ele saiu em alta velocidade, fazendo manobras arriscadas na rua e quando o segurança fez sinal para que parasse, o empresário, de dentro do carro, sacou uma arma e efetuou um disparo.

VERSÃO
Segundo a delegada de Crimes de Contra a Vida Irene Angélica, Celso não atrapalhou os trabalhos da polícia, e, orientado por um advogado, compareceu à delegacia quando foi intimado a prestar depoimento. “Em sua defesa, o empresário disse que teve um “problema” com a namorada durante a festa e que depois se viu perseguido por algumas pessoas envolvidas na confusão. Aí pegou sua arma e achou que o segurança era um dos agressores e acabou atirando contra ele, o que não condiz com as demais provas contidas nos autos”, disse a delegada. O acusado será indiciado por tentativa de homicídio qualificado.

BOM RETIRO
Outro inquérito encerrado pela Delegacia de Homicídios foi uma tentativa de assassinato no dia 20 de janeiro em um bar, no bairro Bom Retiro, em Ipatinga. Um eletricista de 21 anos foi golpeado com uma facada no pescoço na porta do bar. Segundo relatos no dia, ele agrediu uma pessoa dentro do banheiro que o esperou do lado de fora do estabelecimento para se vingar.

O autor do atentado foi identificado como sendo Mateus Tuler, 28 anos, que, segundo a delegada, está cooperando com o trabalho da polícia. As investigações da Polícia Civil constataram que de fato houve uma briga dentro estabelecimento, quando a vítima teria dado um soco em Mateus – que foi até o carro, buscou a faca e o golpeou. “Esse autor é uma pessoa que não tem passagens policiais, mas é aquela história. Sai de casa para os bares é para se divertir, não tem porque voltar para casa com o indiciamento de homicídio qualificado nas costas”, pontua a delegada Irene.

A policial acrescenta que por enquanto não irá pedir a prisão preventiva dos acusados, já que ambos estão colaborando com os trabalhos da polícia.

Você também pode gostar

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com