Cidades

Câmara de Fabriciano aprova PME sem ideologia de gênero

Bruno Costa

FABRICIANO – Diante de mais de 200 pessoas presentes no plenário da Câmara Municipal de Coronel Fabriciano (CMCF), os vereadores aprovaram o Projeto de Lei que trata do Plano Municipal de Educação (PME) para os próximos dez anos. A matéria, de autoria do Executivo, além de apresentar planos e metas, fazia menções à ideologia de gênero (homem e mulher não se diferem pelo sexo, mas pelo gênero), cujas citações no PL foram substituídas pela palavra “sexo” (masculino e feminino), após aprovação unânime de emendas idealizadas pelo Presidente da Casa, vereador Canídia (PT), e igualmente assinadas pelos outros 16 parlamentares.

JUSTIFICATIVA
O público presente à votação comemorou a aprovação das emendas do Legislativo. “Fica aqui o nosso agradecimento a todos os munícipes e também às lideranças religiosas, independentemente das denominações, que compareceram ao plenário e apoiaram as nossas emendas ao Projeto de Lei. Não temos preconceitos, porém, por vivermos em uma cidade de expressiva maioria cristã, não consideramos corretas as diversas citações de ideologia de gênero ao Plano Municipal de Educação.

‘Vale lembrar que antes da aprovação das emendas de nossa autoria, procuramos pastores de várias igrejas evangélicas da cidade e também o bispo emérito de Coronel Fabriciano, Dom Lélis Lara, aos quais apresentamos a nossa intenção em alterar a matéria para a citação ‘sexo’. Na ocasião, recebemos todo o apoio deles, assim como da família fabricianense”, justificou Canídia. “A aprovação desse PME contempla também a Administração Municipal, que terá condições de receber importantes recursos do governo federal para aplicá-los na educação local”, completou.

SEM PRECONCEITO

Morador do bairro Planalto e defensor da eliminação do termo “ideologia de gênero” do PL 2.616/2015, André Vieira acompanhou a Reunião Extraordinária desta segunda e enalteceu a postura dos vereadores. “Foi muito legal ver todos os parlamentares votando juntos pela derrubada da ideologia de gênero até então inserida no Plano Municipal de Educação. ‘

‘É bom deixar claro que a mudança em questão não tem nada a ver com homofobia ou preconceito. Houve, na verdade, a tentativa de alteração de paradigma. Se nós aceitássemos a primeira proposta, de ideologia de gênero, aceitaríamos uma teoria pseudocientífica elaborada por feministas, em sua maioria, dos Estados Unidos, e as consequências viriam a longo e médio prazo”, enfatizou.

FAMÍLIA
Para o 1º vice-presidente das igrejas Assembleias de Deus de Fabriciano e Ipatinga, pastor Júnior Calais, a citação “ideologia de gênero” ao PME atingiria as famílias do município. “Haveria grande prejuízo para a nossa sociedade, caso fosse (ideologia de gênero) aprovada. Não somos contra a liberdade do indivíduo de escolher o que ele quiser, mas, como igreja de Cristo, prezamos pela vida e pela família”, reiterou.

O bispo emérito da Diocese Itabira-Coronel Fabriciano, Dom Lélis Lara, destacou a aprovação das emendas e a participação popular durante a votação do Projeto de Lei. “Que outros municípios imitem o exemplo de Coronel Fabriciano. Os parlamentares fizeram o seu papel e estão de parabéns”, acrescentou.

Você também pode gostar