Nacionais

Audiência aponta coleta seletiva como prioridade em Ipatinga

IPATINGA – Em audiência pública realizada na noite desta quinta-feira (30), para discutir a Campanha da Fraternidade de 2017, cujo tema neste ano é “Fraternidade: Biomas Brasileiros e Defesa da Vida”, os convidados levantaram diversas ações ambientais concretas para Ipatinga e foram unânimes em apontar a coleta seletiva como a mais importante no momento.

SEM DINHEIRO

O Plano Municipal de Saneamento Básico, aprovado ano passado, prevê a coleta seletiva no município, mas o secretário Gilmar Luciano Alves (Secretaria Serviços Urbanos e Meio Ambiente) afirmou que o governo não possui atualmente condição financeira para implementar o projeto sozinho. Ele conclamou toda comunidade ipatinguense a ajudar a colocar em prática essa iniciativa.

ABAIXO-ASSINADO

A Igreja Católica, por meio da Diocese de Itabira, vem colhendo assinaturas, com apoio da Câmara Municipal de Ipatinga, para um abaixo-assinado a favor da coleta seletiva, que será entregue à Prefeitura Municipal. Mais de 12 mil assinaturas já foram colhidas no período da quaresma, e a vereadora Lene Teixeira, autora da audiência pública, disse que irá tomar medidas para intensificar a quantidade de assinaturas até o período da Páscoa.
Paróquias, como a que abrange o bairro Vila Militar, já vem tomando iniciativas em prol da coleta seletiva. A comunidade criou o projeto “Vila Verde” e espalhou pontos de coleta de lixo reciclável pelo bairro. Outras paróquias no município de Ipatinga também vêm participando da conscientização da importância da coleta seletiva em suas respectivas comunidades.

PLANTIO

As ações ambientais, no entanto, não se resumem apenas na coleta seletiva. A Paróquia Cristo Libertador, por exemplo, vem propondo ações de plantio de mudas nativas, mapeamento e revitalização de nascentes, entre outras iniciativas.
E essa é exatamente atitude que o Padre Roberto Baía, da Paróquia Cristo Rei e presente na audiência, espera da população. Ele afirmou que só com a participação de todos é que poderão ser extraídos resultados concretos. “Todos nos temos que assumir nossa responsabilidade, Poder Público, entidades, empresas, população. A campanha é um compromisso não só da igreja, mas de todos nós, porque a cidade é uma extensão de nossas casas”, disse ele.

DEVASTAÇÃO
Vasco Lagares, membro da Paróquia Cristo Redentor, compartilha a mesma opinião. Ele afirmou que todos nós temos que participar e também exigir comprometimento do Poder Público e de empresas. “Temos que pressionar para conter a ânsia dos empreendimentos imobiliários em áreas verdes e também a ânsia das empresas mineradoras na região”, disse Lagares logo após apresentar dados do bioma brasileiro e regional.
A vereadora Lene Teixeira se comprometeu a apresentar uma série de encaminhamentos ao governo municipal. Um desses encaminhamentos se trata da retomada do trabalho de educação ambiental na cidade, além de incentivar a integração dos inúmeros projetos em andamento, tanto do Poder Executivo quanto das comunidades do município. “É necessária essa união de forças. Somadas todas as iniciativas em andamento, acredito que teremos bons resultados”, disse Lene.

Você também pode gostar