Policia

Alexsander Esteves assume o comando regional da PC

Novo delegado, apresentado ontem, prevê mudanças na instituição; na foto, ao lado de Walter Felizberto (E), Chefe do 12º Departamento da PC

 

IPATINGA – O delegado Alexsander Esteves Palmeira assumiu oficialmente na manhã desta quarta-feira (21) a 1ª Delegacia Regional da Polícia Civil de Ipatinga (1ª DRPC). A apresentação ocorreu na sede do 12º Departamento da Polícia Civil, no bairro Iguaçu, na presença de delegados e investigadores que compõem a Regional.
Há 25 anos exercendo cargo de delegado de polícia, Alexsander substitui João Xingó de Oliveira, que se afastou do cargo, depois de ser acusado de chefiar um esquema de corrupção dentro da Polícia Civil. As acusações estão sendo investigadas pela Corregedoria da Polícia Civil e pelo Ministério Público.
Ontem, durante a cerimônia de posse, o novo delegado regional se sentiu honrado com a indicação e disse que é um desafio chefiar uma das maiores regionais do Estado. “Eu tenho consciência deste ministério que eu vou exercer, mas com muito afinco vamos executar bons trabalhos. Estou motivado e desejoso de momentos grandiosos dentro da Polícia Civil, no que tange à elucidação de crimes”, disse, acrescentando que se sentiu surpreso com a indicação.

METAS

Segundo o novo delegado, o principal objetivo no momento é continuar trabalhando na integração entre as polícias (civil e militar) e os demais órgãos que compõem a justiça penal e a imprensa, a fim de executar um trabalho de segurança pública de qualidade. “Nós vamos estabelecer novas metas, vamos sentar e estreitar os laços. E quem vai sair ganhando com isso é a sociedade”, considera.

INVESTIGAÇÕES
Alexsander assume a Delegacia Regional em meio a denúncias de corrupção envolvendo a Polícia Civil de Coronel Fabriciano, e seu antecessor. Indiretamente, ele tem a tarefa de reconstruir a imagem da PC no Vale do Aço, abalada com as denúncias. Além disso, o policial assume a delegacia já com a tarefa de esclarecer vários crimes, dentre eles os violentos homicídios, assaltos, roubos e explosões aos caixas eletrônicos.
Alexsander garantiu que a equipe da Delegacia de Homicídios é formada por profissionais capacitados e já experientes na carreira policial. “Obviamente, investigações sobre os homicídios requerem muita prudência e tempo, porque cada fato a que se chega, aparentemente isolado, somando a outros fatores, se chega a uma conclusão”, diz.
Sobre as novas modalidades de crimes que chegaram ao Vale do Aço, como explosões a caixas eletrônicos e assaltos a zonas rurais, o delegado regional garantiu que irá reforçar as investigações.

PERMANÊNCIA
O policial está na corporação há 25 anos. Em 1991, formou-se na faculdade de Direito de Valencia (RJ) e aos 23 anos de idade ingressou na PC, no cargo de Delegado de Polícia na cidade de Carangola.
Durante 16 anos, foi titular da Delegacia de Trânsito de Coronel Fabriciano. E há um ano está lotado na Delegacia Regional do Centro de Ipatinga. A carreira de Alexsander contribuiu para que ele fosse indicado pelo Chefe do 12º Departamento da Polícia Civil, Walter Felizberto, com o aval do Chefe da Polícia Civil do Estado, Jayro Lellis. Sobre a permanência do novo regional no cargo, Felizberto disse que cabe ao Estado definir. “Por enquanto, o que podemos dizer é que Alexsander está ocupando um cargo vago”.

Apresentação foi feita na presença de delegados e investigadores

Novo delegado confirma mudanças dentro da PC
Ipatinga
O novo delegado regional, Alesxander Esteves, evitou comentar as denúncias de corrupção na PC, mas afirmou que irá trabalhar fortemente para que a paz social volte a reinar, não só dentro da PC, mas, na sociedade civil. “A cooperação e integração entre as polícias será cada dia mais efetiva e nós agradecemos aos órgãos de imprensa que são grandes parceiros na segurança pública”, afirma.
Quando questionado sobre possíveis mudanças na Delegacia de Coronel Fabriciano, alvo das denúncias de corrupção, o policial também se esquivou. “A Corregedoria da Polícia Civil está apurando. É um órgão isento e prefiro me abster porque não compete a mim fazer qualquer julgamento. No transcorrer da minha função ao cargo, mudanças irão ocorrer sim, e oportunamente comunicarei à imprensa”, garante policial.

“Denúncias abalaram a credibilidade da PC”
Ipatinga
– O Chefe do 12º Departamento da Polícia Civil, Walter Felizberto, se manteve em silêncio diante das denúncias de corrupção envolvendo policiais civis. Na manhã de ontem (21), ele disse à imprensa que foi pego de surpresa e que preferiu se manter isento por causa do cargo que exerce dentro da PC. “A gente que tem um cargo de chefia tem que procurar manter essa isenção para não termos uma visão emocional do que está ocorrendo”, afirmou, acrescentando que está “sentido” com a atual imagem da PC na região. “As denúncias abalaram a credibilidade da instituição, mas somos fortes. Eu procuro dizer que temos mais de 200 anos prestando serviço à comunidade e esperamos que a gente supere esse trauma no menor tempo possível”, finaliza.

Entenda o caso
A recente mudança na Delegacia Regional de Ipatinga foi consequência de denúncias feitas pelo ex-delegado de polícia Francisco Pereira Lemos, também presidente da Câmara Municipal de Fabriciano.
Ele acusou o ex-delegado regional João Xingó de Oliveira de liderar um esquema de corrupção dentro da Polícia Civil de Coronel Fabriciano. Lemos disse que Xingó autorizava os delegados lotados naquela unidade a receber propina de traficantes em troca de liberdade ou supressão de provas nos inquéritos policiais.

 

Você também pode gostar