Policia

Acusado de tráfico em BH é preso em Fabriciano

Polícia Civil apresentou o acusado, preso em sua casa em Coronel Fabriciano

 

IPATINGA – A Polícia Civil de Coronel Fabriciano prendeu na madrugada desta sexta-feira (9) um dos principais suspeitos de integrar uma quadrilha em Ribeirão das Neves, Região Metropolitana de Belo Horizonte.
Vadson Leandro Salino, 31 anos, foi preso em uma casa que possui na rua Seis, no bairro JK, em Coronel Fabriciano. Contra ele havia um mandado, determinado pela justiça de Belo Horizonte.
O acusado foi apresentado formalmente na manhã de ontem na Delegacia Regional de Ipatinga. Segundo a polícia, ele conseguiu fugir na quinta-feira, durante uma operação realizada por policiais civis e militares.
Segundo o delegado regional João Xingó, Vadson é acusado de chefiar uma das principais gangues no bairro Landi, em Ribeirão das Neves, e foi localizado no Vale do Aço depois que a PC daquela cidade informou que o suspeito estaria em sua residência em Coronel Fabriciano. “Nos foram repassadas as informações das características dele e de onde ele possivelmente poderia estar escondido”, afirma.

FICHA CRIMINAL

O delegado regional apresentou uma extensa ficha criminal de Vadson. Segundo o policial, ele é acusado de triplo homicídio, além de tráfico de drogas e receptação de produtos furtados. “Então nós não estamos lidando com nenhum santo. Estamos lidando com um criminoso que vive às margens da lei, praticando ilegalidade. Acredito que ele vá ficar um bom tempo atrás das grades”, reitera.

INOCENTE
De acordo com os policiais, Vadson trabalha como pedreiro, o que não condiz com a casa luxuosa onde ele mora no bairro JK, com piscina, sauna, TV Led, além de um carro Fiat Idea. O acusado negou todas as acusações contra ele e afirmou que foi vítima de armação policial. “Nego tudo, não tenho participação. Vou conseguir provar que estão armando pra cima de mim”, defende.
Sobre a acusação de triplo homicídio, Vadson disse que é apenas suspeito do fato, que ocorreu em 2008, mas que até hoje nada ficou comprovado. “Por esse crime, eu fiquei preso quatro meses e 25 dias. O próprio juiz viu que eu não tinha nada e mandou eu sair do bairro, porque senão “tudo” cairia em cima de mim. Agora, esses outros crimes foram todos forjados”, diz.
Sobre a casa que possui em Fabriciano, o acusado garantiu que os R$ 1,9 mil que ganha deram a ele condições para equipar e mobiliar a residência.

OPERAÇÃO IMPACTO
Segundo a polícia, a prisão de Vadson em Coronel Fabriciano foi uma sequência da grande operação denominada “Impacto”, que teve início na quinta-feira (8).
Treze homens acusados de integrar duas gangues rivais do tráfico de drogas, em Ribeirão das Neves, foram presos. Policiais civis e militares participaram da operação, que contou ainda com a ajuda de armamento pesado, cães farejadores e um helicóptero.
Com mandados de prisão e de busca e apreensão, os policiais arrombaram portas e janelas das residências. Durante a operação, o bairro Landi foi totalmente cercado pela polícia. Até os coletivos que saíam da região foram alvo de atenção especial. Os suspeitos foram levados para a Delegacia Regional da Polícia Civil da cidade.

Você também pode gostar